janeiro 2015

Estou tão arrependido…

Você está arrependido? As coisas não saíram como você esperava? Você acredita que poderia ter feito melhor? Fica se perguntando como seria a sua vida se tivesse feito tudo diferente?

Se está balançado a cabeça positivamente à medida que lê essas perguntas, eu preciso te dizer que você está se envenenando!

Desculpe-me por chegar chegando assim e te dar essa sacudida em pleno sábado, mas, se eu não o fizesse, ninguém faria, e você precisava muito saber disso!

O arrependimento é um dos piores venenos para você! Ele gera uma cobrança absurda, em um nível até desumano, e te faz exigir de si mesmo coisas que nunca exigiria de ninguém.

“Se eu soubesse antes tudo o que eu sei hoje, teria feito muita coisa diferente.” – Gente, mas você não sabia antes tudo o que você sabe hoje, você foi aprendendo pelo caminho! E, se não tivesse feito no ontem as escolhas que fez, talvez não soubesse hoje tudo o que sabe!

A gente não tem como prever o futuro, não tem uma bola de cristal para ver o que vai acontecer daqui a 5 ou 12 anos. A gente não sabe nem como será o próximo segundo, quiçá o que nos aguarda daqui tanto tempo!

Tudo o que fazemos é com base no que somos hoje, no presente, no agora, com o conhecimento que a gente tem neste exato momento, e não com o que aprenderemos daqui a 25 anos.

A vida que você levou, as coisas pelas quais passou e até mesmo as cagadas que cometeu, foi isso tudo que fez de você quem você é hoje! Então, agradeça-se por tudo! Agradeça-se por ter feito o melhor que você poderia fazer naquele momento, nas condições de temperatura e pressão em que vivia naquela época!

Pare de se martirizar porque isso não te leva a lugar nenhum além do fundo do poço, e não é para lá que estamos conduzindo a nossa viagem!

Você é especial demais para ficar se torturando assim! Reconheça a grandiosidade que há em você, reconheça o quanto já evoluiu, a ponto de perceber que as decisões do passado não foram tão boas quanto você pensava à época!

Mas reconheça, também, que você fez o melhor que você podia! Agradeça-se por isso! Fortaleça-se com isso! Orgulhe-se de você mesmo!

E foque no que você pode fazer hoje para começar a construir agora a vida dos seus sonhos!

Dedique as suas forças para o que te faz crescer!

Então, vem comigo!

Saber o que se passa com você é muito importante para mim, então deixe um comentário aqui embaixo, ou mande um email para carol@entaovemcomigo.com.br

Eu tenho uma vida incrível!

Não, eu não estou a bordo de um jatinho particular, segurando uma taça de champanhe, a caminho de Belize, enquanto decido se uso Prada ou Chanel. Eu estou, neste momento, sentada na minha sala, na poltrona super confortável que acabei de comprar, pensando no quanto a minha vida é sensacional!

Eu me sinto plena e dona de uma existência realizada, com um relacionamento mais que especial, amigos grandiosos, uma casa que é a minha cara e dois cachorros bagunceiros, um trabalho maravilhoso e uma rotina inspiradora.

Só que a minha vida não é incrível porque eu sou uma pessoa sortuda, que tem tudo na mão, recebe as coisas sem esforços ou nunca tem problemas…

Ela só é incrível assim porque, há alguns anos atrás, eu cansei de ser infeliz e descobri que a vida era muito curta para ser qualquer outra coisa além de sensacional. Naquele momento, eu escolhi o “sensacional” como a palavra motriz do meu vocabulário.

Para que isso fosse possível eu rompi com tudo o que me limitava e, então, me dei conta que a única coisa que me limitava era eu mesma, e que tudo aquilo que havia sido construído à minha volta era nada mais, nada menos, do que o resultado das minhas escolhas. Eu percebi que era hora de fazer novas escolhas e que todas essas novas escolhas se resumiam em apenas uma: escolher a mim mesma!

Não vou mentir pra você, não vou dizer que foi um processo fácil. Foi uma “faxina” geral na vida, reconstruindo tudo o que não estava bom, e olha que era MUITA COISA! Nessa mexida tudo se transformou. Um processo bastante doloroso e até meio desgovernado, porque feito sem muita orientação, mas que me trouxe os melhores resultados que eu poderia imaginar: os meus próprios resultados!

Hoje eu estou aqui, sentada na minha nova poltrona, pensando no quanto eu me sinto realizada, no quanto tudo na minha vida é o exato reflexo de quem eu sou, do que eu quero pra mim.

Eu me agradeço por tudo isso, o tempo todo, porque eu fiz a única coisa no mundo que nenhuma outra pessoa poderia fazer por mim: eu escolhi ser feliz! E não desisti enquanto não alcancei o meu objetivo!

E neste momento, ao parar para refletir sobre tudo isso, com o coração batendo forte e os olhos cheios de lágrimas, eu acabo de me dar conta que essa conversa é também um resultado da minha vida nova, ela é o resultado de uma das melhores escolhas que fiz nos últimos tempos: estar aqui com você!

Quero também te agradecer por estar aqui comigo, compartilhando tudo isso e crescendo dia a dia! Quero te agradecer pela confiança, pela companhia e te dizer que uma das minhas maiores alegrias é essa nossa conversa!

Eu acredito muito em você! Acredito que você é capaz de começar agora mesmo a construir uma nova realidade, com muitos sorrisos e lágrimas de alegria! E quero que saiba que eu estou aqui com você e que juntos somos mais fortes e chegamos mais longe!

Tem uma vida incrível esperando por você! Então, vem comigo!

Será que ainda tem lugar pra mim?

Hoje eu quero falar uma coisa muito importante para você, sobre a mensagem que você tem para passar para o mundo!

Bom, mas antes, eu vou ter que me expor e te contar o que um dia se passou aqui na minha cabeça, em um dos meus muitos diálogos internos.

“Com tanta gente falando a mesma coisa, quem vai querer me ouvir? Tem gente alta, baixa, morena, loira, magra, gordinha, sarada, homem, mulher… por que diabos eu devo tentar? Será que ainda tem lugar pra mim?”

Olha, eu poderia ficar aqui posando de ser superior, dizendo que nenhum tipo de insegurança ou medo jamais me atingiu, mas, o que nós ganharíamos com isso, não é mesmo?

Sim, eu escolhi jogar fora as minhas máscaras e mostrar para você quem eu realmente sou. E sei que com o tempo você vai perceber, se é que já não percebeu, que não tenho muita coisa diferente de você.

Aquela frase ali em cima foi uma coisa que eu perguntei a mim mesma quando decidi escrever sobre desenvolvimento pessoal.

E sabe qual foi a resposta que eu me dei?

Sim, tem mesmo muita gente falando sobre o mesmo tema e isso é algo sensacional! Acho que nunca houve tantas pessoas tão interessadas em se tornarem seres humanos melhores! Você percebe o quanto isso é incrível?

Cada um, da sua maneira, estudando, se aprofundando e compartilhando com o mundo os seus resultados!

As pessoas têm, a cada dia mais, se dado conta de que todos temos uma mensagem para passar e que cada um de nós o fará da sua própria maneira! E é essa diversidade que torna tudo ainda mais interessante!

Nós temos a oportunidade de ver vários ângulos, várias perspectivas, de uma mesma matéria. O que um disse de forma leve e descontraída, outro fez um vídeo, aquele ali fez uma poesia, ela, um desenho, e eu escrevi esse texto!

Isso faz com que o nosso crescimento se dê a passos largos e tudo seja ainda mais enriquecedor!

Sim, tem muita gente falando sobre o mesmo tema, mas nenhum deles era eu!

É claro que tem espaço para mim! E tem para você também!

O mundo quer ouvir o que você tem a dizer, as pessoas querem saber qual a sua visão das coisas. E eu confesso que estou curiosa para descobrir como será o seu jeitinho de compartilhar o seu conhecimento!

O Universo é abundância e sempre haverá alguém interessado em ouvir o que você tem a dizer!

Eu já estou aqui, de ouvidos e coração abertos pra você!

Então, vem comigo!

Deixe um comentário aqui embaixo pra mim ou envie um email para carol@entaovemcomigo.com.br

Se eu pudesse te dar só um conselho…

Se eu pudesse te dar um conselho, só um, para o resto da vida, sem dúvidas eu diria: paute as suas decisões na sua felicidade, porque, no final das contas, é isso o que realmente importa!

Lá no final, quando você olhar pra trás e fizer um balanço da sua trajetória, serão os momentos felizes que te farão aquecer o coração e estampar um sereno e satisfeito sorriso no rosto.

Quando este dia chegar, muita coisa que hoje é relevante para você, não mais importará. Não terá mais nenhum valor o que as pessoas pensaram de você, se foi poderoso ou quantos bens materiais você acumulou. Não valerá de nada se o seu carro foi o mais luxuoso ou o seu corpo o mais escultural. Não importará quantas pessoas você tentou agradar ou se disse as palavras que esperavam ouvir. De nada significará quantas fotos você publicou no Instagram ou quantas curtidas no Facebook você ganhou.

Quando este dia chegar, o que importará de verdade será: o quão feliz você foi! Quanto do seu tempo você passou com as pessoas que ama? Quantas risadas, daquelas de doer a barriga, você deu? Quantas vezes o seu rosto se iluminou diante da vida? Quantos algodões-doces cor-de-rosa você comeu? Quantas vezes você tirou um dia inteirinho só para se curtir? Quantas palavras de amor você falou e ouviu? Quantas vezes você foi bobo? Quantas palhaçadas você fez? Quantos banhos de chuva tomou? Quantas vezes você dançou como se ninguém estivesse olhando ou cantou alto a música que passava no rádio, sem ligar para as pessoas que poderiam te escutar? Quanto da sua vida você passou sendo mais você mesmo e menos quem os outros gostariam que você fosse?

Lá no final, quando você olhar pra trás, de quais momentos você vai querer se recordar?

Então, está na hora de fazer escolhas melhores, valorizar o que deve ser de fato valorizado! É este o momento de começar a cultivar as preciosas lembranças de que você se orgulhará no futuro!

É hoje, agora, bem aqui no presente, que construímos os momentos, os preciosos momentos, de que vamos querer nos lembrar para sempre!

É chegada a hora de viver de verdade!

Então, vem comigo!

A verdade sobre essa tal jornada

Eu usualmente chamo o meu processo de autoconhecimento, o caminho que eu segui para me conhecer e me encontrar de “a minha jornada”.

Eu gosto desse nome, porque me dá a ideia de quem parte em uma viagem, com uma mochila nas costas, desbravando o mundo, pronto para encarar os desafios da estrada.

Fala a verdade, quando alguém te diz “uma jornada”, você pode até imaginar essa pessoa andando pela Índia, com um cajado nas mãos, em um nobre trajeto, com um destino mais nobre ainda. Soa um pouco romântico, até meio místico!

Mas, a verdade, essa que eu vim te contar, é que essa jornada para dentro de você não tem nada de muito especial.

“COMO ASSIM?????” Calma que eu me explico!

Como eu disse, a jornada de autoconhecimento é um termo meio romanceado, tanto que, ao iniciar a sua, em busca do seu verdadeiro eu, você tem certeza que, no momento em que entrar em contato com a sua essência, uma música tocará, 10 querubins descerão dos céus, tocando suas harpas, seguindo um feixe de luz dourada, e dançarão ao seu redor, para selar o momento mais especial e marcante da sua vida. Afinal, é uma JOR-NA-DA! Uma experiência transcendental!

Pois é, agora volta pro mundo real que eu vou te dar um relato de quem já chegou lá.

A sua jornada de autoconhecimento é mais um destralhe do que qualquer outra coisa.

Você nasceu puro e genuíno. Sim, você nasceu você mesmo, esse você mesmo que hoje você tanto busca.

Legal, né? O problema é que durante o caminho, você deixou que um pouquinho de poeira se acumulasse sobre você, umas crenças limitantes daqui, uns bloqueios dali… Mais adiante, e caiu mais um pozinho sobre você: a comparação, alguns sabotadores e te mostraram um tal de padrão a ser seguido.

Também te disseram que seus sonhos são besteira, que você nunca vai chegar a lugar nenhum se não fizer uma faculdade, que tem que ter um emprego, se casar, ter filhos e que grande parte disso será um fardo. Aí veio mais uma bela pá de terra, na verdade, está mais para um caminhão de terra, tudo soterrando você.

Depois, jogaram um galão de petróleo sobre a sua essência, e no rótulo do galão estava escrito “medo”.

Pronto, você já não consegue mais se ver, ou até consegue, mas prefere fingir que não viu, afinal, todas as mensagens que você recebeu até hoje te dizem que aquilo que você vê não é o certo!

E você, em um belo momento, um memorável momento, de exaustão com tudo isso, determinado a retomar o controle da SUA VIDA, resolve parar o mundo e voltar a se encontrar. Tem início a sua jornada (tãnãnã…!!!)!

Agora é hora de tirar o pó, às vezes com uma pá, outras com uma escavadeira. Ir tirando de cima de você tudo o que foi colocado ali e que simplesmente não é seu. Desfazer-se de toda aquela tralha, acumulada durante uma vida inteira, para encontrar o que, na verdade, nunca deixou de estar ali, bem debaixo do seu nariz, ora agitado e inquieto, ora descrente e adormecido por tanto peso: você mesmo!

E, quando você se percebe, se for como eu, quando chegar ao fundo de toda essa terra, dirá: “Sério? É isso? Mas era isso? Eu mesma? Bom, quer saber? Valeu a pena! Eu sou incrível!”

Sim, era só eu! Mas não era só isso, era TUDO ISSO! Foi uma senhora jornada! E foi mais mágico do que 100 querubins dançando à minha volta!

Chegou a hora de ser você! Então, vem comigo!

Quando você se torna consciente, a mágica acontece!

É no momento em que você acorda, quando você olha para os lados e percebe que quem dá as cartas é você, que quem está na dianteira da sua vida é você mesmo, é aí que a mágica acontece!

Quando você abre os olhos para a vida e começa a perceber que ela é o que você quer que ela seja, é este o momento da libertação.

Você tira o poder das mãos de quem quer que seja e o devolve para onde nunca deveria ter saído: para dentro de você.

E naquele segundo mágico, libertador, transformador, você dá início à história da sua vida. E, adivinhe? Ela será do jeitinho que você quiser! Terá o enredo, o cenário, as personagens e as cores que você escolher e, claro, você é o protagonista! Você e ninguém mais.

Os outros? Eles já não decidem mais por você, eles não têm mais o poder de escolher ou fazer nada, eles não te influenciam mais.

Claro que você terá companhias! Mas somente aquelas que você convidar para entrar, as pessoas mais iluminadas, alegres, inspiradoras, sonhadores como você, que, muito longe de quererem te controlar, unem-se a você pelos mais genuínos e singelos sentimentos. Só quem queira se contagiar com a sua luz, ao invés de ofuscar o seu brilho!

Sim, você nasceu para brilhar, para iluminar e enriquecer esse mundo! Pode aposentar essa capa velha que você colocava todos os dias para se esconder, agora é a hora de se mostrar. Presentear o mundo com a versão mais linda e especial de você, a verdadeira, sem filtros ou qualquer tipo de bloqueio!

Agora você está no comando e não tem mais nada a temer!

E aí, tá esperando o que pra começar a escrever a sua história?

Então, vem comigo!

Aperte o botão

Pra que desprender tanta energia tentando agradar todo mundo? 

Você fica aí, engolindo sapo, fazendo o que não quer fazer, agindo de uma maneira com a qual não concorda, porque tem medo de desagradar? Então deixa eu te contar uma coisa: Não importa o que você faça, você vai desagradar!

Essa é uma verdade daquelas que dói? Não, senhor, é uma do tipo que liberta!

Qualquer coisa que você fizer nesse mundo, você estará desagradando alguém. Então por que se importar?

Sempre que você tomar uma atitude, fazer ou deixar de fazer tal coisa, usar essa ou aquela roupa, cortar ou não cortar o cabelo, sempre vai haver alguém discordando de você.

Nem todo mundo vai curtir as mesmas coisas, nem todo mundo vai ter o mesmo gosto, a mesma filosofia de vida, a mesma religião, a mesma bagagem cultural, a mesma maturidade emocional. Isso não é um problema do mundo. Ao contrário, é uma de suas belezas, pois é justamente essa diversidade que faz com que viver seja uma experiência tão interessante e enriquecedora!

Então, se não existe um padrão, onde mesmo você pretende se encaixar? Se a regra é a diversidade, como você poderá agradar, com uma única atitude, gregos e troianos? Não dá!!!

E o pior é que, enquanto você fica aí, nessa corrida maluca, sem saber nem onde mirar, o tempo está passando e você nunca está fazendo o que quer de verdade, nem obtendo a tão desejada aprovação! Ou seja, você está sempre perdendo.

Quantas vezes você já deixou de fazer alguma coisa que queria muito, porque tinha medo do que as pessoas iam pensar? Quantas vezes você já fez alguma coisa que não queria, porque seus amigos/pais/familiares falaram que era aquilo que deveria ser feito? 

Ao deixar de ser espontâneo e genuíno, por medo da reação das outras pessoas, você nunca estará vivendo sua vida por inteiro, além de não atingir seu objetivo, pois, como já deu pra perceber, sempre haverá alguém achando mil coisas a seu respeito!

É agora que vem algo para se pensar: As pessoas de fato bem resolvidas estão preocupadas demais em serem felizes para perderem seu precioso tempo te julgando! Elas vão achar o máximo ver que você, assim como elas, decidiu viver sua vida por completo e que não dá a menor bola se isso está ou não incomodando alguém! Mesmo que elas não compartilhem o mesmo gosto seu, vão te respeitar e admirar por isso!

Aqueles que correm para te apontar o dedo quando veem você fazendo alguma coisa com a qual não concordam, por outro lado, são pessoas que ainda não tiveram a capacidade de se aceitarem e preferem berrar com o mundo a buscarem a paz em si mesmos.

E eu te pergunto, por que cargas d’água a aprovação de pessoas mal resolvidas e em sofrimento é tão importante para você? Ainda mais sabendo que você não conseguirá unanimidade nunca? O que você ganha com isso, além de derrota e frustração?

A vida é uma oportunidade muito preciosa para você desperdiçar fazendo coisas que não quer, deixando de agir como deseja e nunca sendo você mesmo por completo! Aperta logo o botão do dane-se e vai ser feliz! 

Os “odiadores” odiarão, os mal resolvidos reclamarão. Mas, quem liga? Eu não! Então, vem comigo!

Como seria?

Como seria a minha identidade se eu parasse de me comparar com o outro para descobrir quem sou? Como seria o meu interior se eu parasse de buscar do lado de fora formas de preencher o vazio que eu mesmo criei?

Como seria a minha autoestima se eu não precisasse do outro para me sentir bem? Como seria a minha autoconfiança se eu não precisasse mais de reconhecimento para me sentir capaz? E se o único reconhecimento de que eu precisasse fosse o meu próprio?

Como conseguir ouvir o som que sai daqui de dentro, se só o que eu faço é me perder no ensurdecer dos gritos que ecoam lá fora?

E se eu parasse para me escutar? E se eu parasse para me enxergar? E se eu parasse para me amar?

Como seria a minha vida se eu resolvesse prestar mais atenção em tudo o que eu tenho para me dizer? Como seriam minhas falas se eu só dissesse o que sai da minha boca, ao invés de preenchê-la com palavras que eu busco lá fora?

Como seria o meu coração se dentro dele só habitassem os sentimentos que eu tenho em mim? Como seria a minha realidade se eu me respeitasse mais?

Como seriam os meus relacionamentos se eu só os vivesse depois de estar inteiro? Como seria a minha realização pessoal se eu compreendesse quais são as minhas necessidades?

Como seria a minha rotina se eu soubesse exatamente o que eu quero? Como seria a minha vida material se eu só buscasse ter depois de ser?

Como seria a paz mundial se eu primeiro trabalhasse a minha paz interior?

Por que buscar em qualquer outro lugar as respostas que sempre estiveram e sempre estarão dentro de mim?

Por uma vida autoconsciente. Então, vem comigo!

Vamos conversar mais? Deixe um comentário ou mande um email para carol@entaovemcomigo.com.br

Certezas incertas

Tem horas que a gente precisa desapegar. Deixar o velho seguir o seu caminho, abrindo espaço para o novo encher a nossa vida e nos surpreender a cada dia com seus encantos.

Sei que você já me ouviu falando sobre isso por aqui e, olha, vai ouvir muito ainda.

O apego é uma faceta do medo. O medo do novo, do desconhecido. Medo de não conseguir mudar a nossa vida. Medo das coisas darem errado. Medo de quebrar a cara. Medo de não conhecer ninguém melhor…

Medo. Medo. Medo. Que, como um veneno, vai nos paralisando, nos imobilizando. De repente, vivemos nossa própria cena de filme de terror. Estamos presos em um corpo que não é o nosso, vivendo uma vida que não tem nada a ver com a gente e da qual simplesmente não conseguimos sair. Estamos fadados à angústia eterna de não conseguirmos gritar ou nos mexer, enquanto, do lado de fora, a vida calmamente segue seu ritmo, como se nada estivesse acontecendo.

Mas, por que vivemos assim? Por que escolhemos viver assim?

É porque temos certeza de que não há outro jeito possível. Certeza de que a dor da tentativa e do fracasso certeiro será demasiado forte. Temos certeza de que, se cairmos, não conseguiremos nos reerguer.

Sim, certezas. Certezas e mais certezas que atolam a nossa mente e sufocam a nossa alma. Certezas que, na maioria das vezes, nem sabemos porque existem. Elas já estavam por aqui antes mesmo de virmos ao mundo. Herdamos e compartilhamos um monte de certezas que não somos capazes, sequer, de explicar porque elas estão certas.

Olha, é chegada a hora de desapegar. Desapegar dessas certezas absurdas, arraigadas em sua vida, em seu inconsciente e que insistem em agir como se fossem verdades absolutas.

É hora de construir certezas novas. Certezas que, como boas certezas que são, sabem que nenhuma certeza é absoluta. Que o mundo muda a cada dia, que nós mudamos com ele e, se tudo muda, elas também mudarão.

Permita-se viver em liberdade! Permita-se conhecer o mundo, experimentar as coisas. Permita-se construir a sua própria realidade, saborear intensa e calmamente a sua vivência, com todas as maravilhas que ela te proporcionará!

Não aceite que essas velhas certezas limitantes tentem te impedir. Liberte-se delas. Liberte-se de tudo que lhe diga que não é possível, de tudo que lhe sugira que não vale a pena!

Desconstrua suas certezas. Construa a sua liberdade.

Então, vem comigo!

P.S.: Ajude-me a produzir o melhor conteúdo para você! Diga-me o que falta para você conquistar a vida dos seus sonhos. Eu quero te ajudar. Eu vou te ajudar! Responde aí, é rapidinho e você nem precisa se identificar.

Tudo ou nada

O que você fez nos últimos 15 minutos? Nada? Eu, como não pude ir à academia hoje e havia me comprometido a me exercitar diariamente, passei os últimos 15 minutos pulando corda.

“Mas 15 minutos não é nada!!”

Não, nada é nada, 15 minutos são 15 minutos a mais do que nada.

Nada era exatamente o que eu faria nos últimos 15 minutos se tivesse dado ouvidos a esse pensamento.

15 minutos, ao final de uma semana, é 1 hora e 15 minutos. Ainda te parece nada?

Além disso, nesses últimos 15 minutos eu provei pra mim mesma que, quando eu estou comprometida com alguma coisa, nada pode me parar, nem mesmo o pensamento de que aquilo não vale nada.

Nos últimos 15 minutos eu me senti poderosa, determinada, vencedora. Eu me senti dona da minha vida, dona da minha vontade e dessa força imensa que tem aqui dentro de mim e que me diz que não há nada nesse mundo capaz de me impedir de conquistar meus objetivos!

E isso, pra mim, é TUDO!!!

E com você, é tudo ou nada?

Então, vem comigo!

(me conta o que você queria ter feito nos últimos 15 minutos? Deixe um comentário, ou mande um email para carol@entaovemcomigo.com.br)

Página 1 de 212