outubro 2015

Vai procurar sua turma

Veja se você se enxerga nessa história. Você vive uma vidinha bem mais ou menos, vai trabalhar sonhando com a sexta-feira e tem um monte de gente reclamona à sua volta. Vocês passam um tempão juntos falando sobre como as coisas são difíceis, como os relacionamentos são chatos, como os chefes são uns malas, como o governo está acabando com o país, como o dinheiro acaba ainda no começo do mês… enfim, todas essas coisas com as quais estamos acostumados.

Só que um belo dia, cansado de tanta angústia, por já não aguentar mais essa tristeza que nunca tem fim, você para e pensa em como pode melhorar a sua vida! Sim, você! O que você pode fazer e não seu chefe, namorado ou amigos reclamões. E aí você vai lendo uma coisinha aqui, vendo um videozinho ali, e dá início à sua mudança!

Pronto! Você plantou uma sementinha dentro de você. E a cada pensamento virtuoso que você tem e a cada livro/texto/vídeo que consome, essa sementinha vai germinando, brotando, crescendo… Em um momento, que você nem sabe exatamente muito bem como chegou, você se percebe diferente, percebe que começou a ver a vida com outros olhos, buscando coisas melhores. Aquela tristeza deu lugar a um sentimento de esperança e satisfação.

De repente, você se pega falando com seus amigos sobre coisas como autoconhecimento, gratidão, paz interior, meditação…

Oi? Meditação? Daí surge aquele silêncio meio constrangedor acompanhado por um fuzilamento de olhares que dizem “Você pirou?” “Qual o seu problema?” “Eu não estou te reconhecendo mais!”.

E você experimenta a rejeição. Sua galera, que sempre curtiu sua companhia, agora está te evitando e ainda te olha com aquela cara de “Sério, meditação?”.

Aquela tristeza começa a querer voltar, fica dando umas cutucadinhas no seu ombro, enquanto você se pega pensando que é um estranho no ninho, que está sozinho nessa e não tem ninguém para compartilhar as coisas que realmente te interessam.

Você não se encaixa mais com os seus amigos, não se sente bem com aquelas velhas reclamações de sempre e não está mais confortável para falar o que você pensa de verdade.

Meu amigo, quando se chega neste ponto, só há uma coisa a fazer: vai procurar a sua turma!

A primeira coisa que você precisa saber é que isso acontece com todo mundo! Bom, pelo menos com todo mundo que decide se movimentar em busca de uma mudança de vida!

É super normal essa sensação de ser um estranho no ninho, sofrer com a rejeição das pessoas e você mesmo rejeitar as conversas improdutivas de sempre! Digamos que isso seja um ritual de passagem! Então, deixe-me dizer oficialmente: bem-vindo ao clube!

A segunda coisa é que VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO! Tem muita, mas MUITA gente legal por aí passando pela mesma jornada que você, buscando mudanças, crescimentos, transformações, tomando atitudes e estudando um monte de coisa legal que você nem imagina!

Essa galera está se reunindo, trocando forças, ideias, experiências, compartilhando muito e batendo um papinho virtuoso! Ainda tem uns perdidos pelo caminho, assim como você, mas não se preocupe, eles também encontrarão um meio de se reunir!

Sua turma do passado? Bom, vocês estão em momentos diferentes agora e um dia eles também se cansarão de reclamar e escolherão mudar seus pensamentos. Quando esse dia chegar, você receberá uma mensagem que começa com “Sabe, eu estive pensando…” e você poderá acolher a todos de braços abertos e compartilhar sua caminhada.

Enquanto isso não acontece, tenha paciência e compaixão! Não precisa se afastar (se bem que algumas vezes você vai querer fazer isso, e está tudo bem! Não tem problema nenhum em não querer estar perto de quem não te faz bem), basta ter carinho e compreender que vocês estão em momentos diferentes e que eles ainda não estão prontos para assumir o controle de suas próprias vidas!

E você, meu querido, vai agora mesmo procurar sua turma! Vai encontrar toda essa gente incrível que está aí fora na mesma vibe que você!

Como fazer isso? Simples! Continue buscando se aprofundar nos assuntos do seu interesse. Apenas essa atitude já é suficiente para que o Universo conspire para que os seus caminhos se cruzem, o que algumas vezes acontece das maneiras mais inusitadas possíveis (esse Universo é mesmo um danadinho!)!

Se você for do tipo ansioso e não quiser deixar tudo por conta do Universo, pode buscar cursos (presenciais ou online), palestras, grupos, comunidades, workshops, participar de eventos, ou seja, se colocar em movimento e dar espaço para essa gente linda, elegante e sincera entrar na sua vida!

Aí é só correr para o abraço e preparar-se para jogar fora aquela crença limitante de que amigo de verdade a gente conta nos dedos!

Você não está sozinho! E eu também sempre estarei aqui para você!

Então, vem comigo!

E se você estiver velho demais?

“E se eu estiver muito velha para sonhar?” – Ela me perguntou. – “Você sabe, eu não tenho mais idade para isso.”

Confesso que aquelas palavras mexeram comigo. Eu as senti entrando em mim e ecoando dentro do meu ser.

Eu não sou uma dessas pessoas motivacionais, que têm sempre uma resposta incrível na ponta da língua e um repertório infindável de frases impactantes. Sabe aquelas frases que você escuta e diz “Uaaaauuuu! Isso mudou a minha vida!” e de repente se sente motivado para correr uma maratona ou que tem a força para derrubar com um só golpe as Muralhas da China? Então, eu definitivamente não sou esse tipo de pessoa.

Quando entro em uma conversa, vou com o coração completamente aberto e ouço com a minha alma o que a pessoa tem a dizer. Também deixo que a minha alma responda, porque a mente, você sabe, ela é um pouco limitada, e às vezes o ego tenta manipulá-la fazendo-nos sentir aquela vontade de estarmos sempre certos. A alma é diferente, ela simplesmente é, ela não quer estar certa ou errada, ela não compete, não quer ser melhor ou pior. A alma só quer sentir, só quer ser.

Sabe, eu acho que se as pessoas colocassem mais alma em suas mentes, o mundo seria um lugar completamente diferente.

Naquele dia, a minha alma estremeceu um pouquinho com aquelas palavras. Talvez por ter se identificado com o que acabara de ouvir. Não sei se já te contei, mas um dia eu também me senti velha demais. Sim, foi no auge dos meus vinte e poucos anos. Eu achava que não tinha mais idade para ser feliz. Achava que tinha desperdiçado todas as minhas oportunidades e que estava fadada ao sofrimento para o resto da minha vida.

Parece que posso até ver daqui a sua cara de espanto ao ler essas palavras. Consigo te ver balançando a cabeça com reprovação, como quem diz: “O que você está falando garota?”. Mas, naquele momento, aquela era a minha dor. Eu me achava velha demais para viver essa tal de felicidade.

O mais impressionante de tudo é que hoje, quando olho para trás, vejo que eu estava certa. Eu de fato estava velha demais.

Temos a tendência de achar que ser jovem ou velho está relacionado com a idade que temos, mas isso é um baita engano! Isso nada tem a ver com quantos aniversários você fez ou os números registrados em sua carteira de identidade.

Ser jovem ou velho depende de uma única coisa: a sua capacidade de sonhar. Enquanto você tem um sonho, enquanto acredita nesse sonho, você será jovem e vívido, não importa o que te diga a sua certidão de nascimento.

O verdadeiro tempo é medido pelo quanto acreditamos na beleza da vida, o quanto nos deixamos alimentar pelos nossos sonhos, o quão vivaz é a nossa imaginação e latente a nossa sensação de que podemos e merecemos realizá-los.

E a cronologia, essa racional criatura, ela não é capaz de colocar obstáculos para a realização dos seus sonhos, porque aí dentro você tem a jovialidade de uma criança. E as crianças, meu amigo, têm um dispositivo secreto acoplado em suas mentes que ignoram completamente a expressão “você não pode fazer isso”.

Tudo bem! Posso até não fazer do seu jeito, mas eu encontro uma maneira, porque é isso que os sonhadores fazem, eles não permitem que o “como” seja um obstáculo. O “como” é um empecilho para os velhos, porque quem sonha faz parte daquele grupo incrível que encontra um jeito, o seu jeito, de fazer acontecer.

Ao te escrever essas palavras não consigo impedir que um sorriso brote nos meus lábios, enquanto lágrimas de emoção me marejam os olhos, porque sabe o aconteceu com aquela velha de vinte e poucos anos? Ela renasceu. Ela permitiu que o seu coração batesse de novo cheio de jovialidade e disposição, porque ela redescobriu o que é sonhar e saiu por aí, colorindo a vida e fazendo dela o cenário perfeito para a realização dos seus sonhos!

“E se eu estiver muito velha para sonhar?” – Ela me perguntou. – “Você sabe, eu não tenho mais idade para isso.”

Confesso que aquelas palavras mexeram comigo. Eu as senti entrando em mim e ecoando dentro do meu ser. Minha alma reconheceu aquela frase e em frações de segundo devolveu em resposta a expressão mais pura e verdadeira que alguém um dia já disse sobre o assunto:

“Porque se chamavam homens, também se chamavam sonhos, e sonhos não envelhecem.” **

Você tem um sonho. Você está vivo. Isso é tudo o que precisa para torná-lo realidade.

Então, vem comigo!

**Essa frase é da música “Clube da Esquina II” e não sei exatamente a autoria, porque ora o Google me diz que é do Milton Nascimento, ora do Flávio Venturini.

7 Razões para Ser Você Mesmo

Você sempre escuta por aí que deve ser você mesmo. Que deve ser autêntico, verdadeiro e assumir ao mundo a sua personalidade, sem se preocupar com o que os outros vão pensar.

Bom, eu concordo em gênero, número e grau, e hoje vou te dar 7 razões para parar de tentar agradar as pessoas e simplesmente ser você mesmo!

Vamos lá?

1.  “Be Yourself. Everyone else is already taken.” – Oscar Wilde.

Seja você mesmo. Todas as outras personalidades já têm dono. – Essa é a tradução (que não retrata muito bem, preciso dizer) de uma das minhas frases preferidas.

Há mais de 7 bilhões de pessoas no mundo. Mas elas são elas e você é você. Você não pode ser nenhuma delas, então não perca seu tempo tentando, ok?

Parece meio ofensivo, eu sei, mas é profundo e brilhante! Para que perder seu tempo e energia tentando ser alguém que você não é de verdade? É cansativo, desgastante e, como você pôde perceber, uma batalha perdida.

“Mas Carol, eu não gosto de quem eu sou!”

Será mesmo que você não gosta de quem você é? Será que você não tem medo de que as pessoas não te aceitem ou achem que você é inadequado?

Sério. Reflita sobre isso: por que você não gosta de quem você é? Será que você se conhece o suficiente para dizer se gosta ou não? Ou será que é igual a uma daquelas crianças que diz que não gosta de brócolis sem jamais ter experimentado? Será que você tem clareza sobre quem é ou será que vive obcecado e focado em quem você não é?

Você nunca apreciará a si mesmo se não tirar um tempinho para se conhecer. Então, separe logo uns preciosos momentos para saber mais sobre você.

E sabe o que acontece quando faz isso? Você se apaixona perdidamente por si mesmo e fica cada mais difícil (quiçá impossível) tentar ser outra pessoa.

2. Você nunca mais duvidará do amor das pessoas.

Lembra do que conversamos ali em cima sobre ter medo de que as pessoas não gostem de quem você é? Quando você é verdadeiro e autêntico esse medo desaparece, pois as pessoas que ficam ao seu lado só estão ali porque gostam de como você é, não porque você está interpretando uma personagem que considera mais adequado e aceitável!

Isso não é incrível? Eu tenho certeza que as pessoas que estão ao meu lado me amam por mim, pois é só isso que eu mostro a elas, o que eu sou de verdade!

É claro que talvez algumas pessoas se afastem de você, afinal ninguém é obrigado a gostar da gente! As pessoas são diferentes e gostam de coisas diferentes e tá tudo bem! Como diz o ditado: o que seria do azul se todo mundo gostasse do amarelo?

A boa notícia é que você sempre encontrará a sua turma! Sempre haverá quem goste de você do jeitinho que é, sem tirar nem pôr. Talvez você esteja tentando se “encaixar” na turma errada, ou talvez as pessoas que te rodeiam vão amar alucinadamente a pessoa que você é de verdade, mas a única maneira de descobrir isso é…. SENDO VOCÊ MESMO!!!

3. Você evita frustrações.

Se hoje você tenta se esconder ou ser diferente do que é de verdade, tem uma motivação para isso. E, seja qual for a sua motivação, já posso te adiantar que ela é errada!

Talvez esteja buscando a aprovação ou amor de uma pessoa, talvez queira fazer parte de um grupo, conseguir um trabalho, enfim, motivações externas.

O problema de fazer isso é que você pode não obter os resultados que espera. Pode ser demitido do trabalho, ser rejeitado pelo grupo ou aquela pessoa cujo amor você buscava pode te desapontar muito e as coisas não saírem exatamente como o planejado. E quando isso acontecer, ah meu amigo, você conhecerá a famosa frustração e dirá aquelas célebres palavras “Mas depois de tudo que eu fiz por você?”.

E de repente você se vê interpretando um papel sem obter a recompensa esperada. Você não é verdadeiro e nem tem aquilo que desejava. Você tenta responsabilizar o outro e se sente injustiçado por tudo que aconteceu, uma verdadeira vítima.

Só que todo esse dissabor e frustração podem ser evitados. Sim! Você pode (e deve) simplesmente ser você mesmo e se as coisas não saírem do jeito que esperava, você apenas sacode a poeira e segue em frente. Não haverá mais aquela sensação de que perdeu o seu tempo (ou até mesmo toda a sua vida) se esforçando para agradar alguém que não honrou o seu esforço e te machucou.

4. Viver fingindo é muito cansativo.

Se você ainda não se convenceu por nenhum dos motivos acima, saiba que viver tentando ser outra pessoa é extremamente trabalhoso e cansativo! Palavra de quem passou quase a vida inteira fazendo isso!

Pois é! Eu vivi durante muitos anos encenando personalidades e tentando ser diferente do que eu era de verdade, inclusive fisicamente! Claro que naquela época eu não sabia o que estava fazendo, não sabia nem mesmo quem eu era de verdade, mas, ao invés de tentar descobrir, eu tentava ser como as pessoas que eu achava legais. Se eu sofria? Ô… Olha, só posso te dizer uma coisa, sou eternamente grata pelo momento que resolvi jogar tudo pro alto e apenas ser eu. Foi daquele momento para frente que e pude conhecer o verdadeiro significado da palavra felicidade!

Mas como eu estava dizendo, é extremamente desgastante e trabalhoso ter que pensar em cada gesto, cada fala, cada gosto, ou seja, ter que pensar em tudo que se vai fazer, afinal, não queremos ter atitudes erradas ou inadequadas, não é mesmo?

Esses dias eu vi um filme em que a menina fingia ter sotaque britânico. Ela não podia falar nenhuma palavra sem forçar o sotaque e tinha que se policiar o tempo todo. Imagina o quanto é trabalhoso uma coisa dessas? Ah, e adivinhe o que aconteceu? É claro que ela deu uma escorregada e não conseguiu se manter no papel durante todo o tempo!

Então, lembre-se, se você começar a ser uma pessoa diferente, terá que ficar bem atento e despender muita energia para manter o sotaque!

5. Essa é a sua missão!

Você veio ao mundo para ser exatamente quem você é! Em última instância, pode-se dizer que essa é sua missão, esse é o seu propósito de vida!

Você não nasceu para agradar as pessoas, realizar os sonhos da sua mãe ou as vontades do seu pai. Você veio ao mundo com uma única tarefa a ser cumprida (e eu não disse que ela seria fácil. Só para constar!): saber quem você é de verdade, conhecer-se profundamente, ser você mesmo, sem qualquer “se”, “mas”, “porém” ou condição, e saber se amar e respeitar por isso!

Como eu já escrevi em um texto anterior, o que vem depois não é nada além dos desdobramentos e consequências naturais desse autoconhecimento!

6. Assumir quem você é faz muito bem para a sua autoestima.

Grande parte do seu poder pessoal reside em assumir quem você é de verdade. Quando você se conhece, se ama, se respeita e decide que não será nenhuma outra pessoa no mundo a não ser você mesmo, a sua autoestima sofre os reflexos positivos dessa atitude.

Ao se assumir para si mesmo e para o mundo, você passa a se admirar mais e se dá o necessário valor e reconhecimento. Isso dá início a um verdadeiro ciclo virtuoso, afetando sua autoconfiança, sua determinação, sua segurança, suas ações, seus relacionamentos.

O mundo, é claro, reage à sua atitude, retribuindo-te com o mesmo respeito e reconhecimento com que você se trata.
Este foi o ponto da virada da minha vida, o momento a partir do qual tudo se transformou para mim e os frutos dessa escolha são colhidos até hoje em uma vida recheada com muito amor-próprio e realizações.

7. Você muda o mundo!

Quando você faz a escolha de ser você mesmo, dá autorização às pessoas para fazerem o mesmo por elas. Você lhes mostra que há vida além da encenação e que a verdadeira felicidade acontece no momento em que as máscaras caem e a verdadeira essência se torna livre para emergir à superfície e se mostrar ao mundo!

Você contribui para um mundo com mais verdade, autoestima, autoconfiança e amor-próprio. Você se torna a mudança!

Então, como diria meu velho amigo Gandhi “Seja a mudança que você quer ver no mundo.” Seja você mesmo.

Então, vem comigo!

Me ajude a espalhar essa mensagem! Deixe o seu comentário aqui embaixo e compartilhe com os amigos! Vamos juntos pelo mundo que queremos!

P.S.: Se você ainda não faz parte da minha Lista Vip, cadastre-se aqui do lado e receba gratuitamente o Livro Digital “3 Atitudes para Fortalecer a Autoestima pelo Autocuidado”!