fevereiro 2016

O medo de ser grande e do que os outros vão pensar

Eu sempre soube que nasci para ser grande. Dentro de mim algo sempre disse que havia um futuro espetacular a esperar por mim, repleto de realizações e que eu faria mudanças de grande impacto na vida das pessoas.

Há algum tempo eu jamais diria essas palavras em voz alta, afinal de contas, o que as pessoas iriam pensar? Será que me achariam arrogante? Será que pensariam que sou metida demais?

A grande verdade é que as pessoas pensarão coisas, sim, mas isso está longe de ser um problema meu.

Sei que esse também é um dos seus grandes medos “O que as pessoas vão pensar?”, e que talvez por isso ainda não tenha assumido ao mundo todo o seu potencial. Por esse motivo vim ter essa conversa com você, para te contar algumas coisas que aprendi sobre esse assunto.

Claro que as pessoas pensarão coisas a seu respeito, e talvez não sejam coisas boas mesmo, mas você não pode fazer nada sobre isso. Os pensamentos que as pessoas têm sobre você dizem muito mais sobre elas mesmas do que sobre você, pois o que pensam não está relacionado com as suas atitudes, mas sim com o nível de consciência e realização pessoal delas próprias.

Uma pessoa com um elevado nível de consciência tende a não julgar os outros, nem a projetar neles as suas próprias sombras, dores e frustrações. Já alguém com um nível de consciência mais baixo, não hesita em transferir para o outro a responsabilidade pelos seus próprios problemas, nem em recriminar e se ofender com a postura altiva e segura de quem conhece, acredita e confia em si mesmo.

Logo, quando você conhece o seu potencial e se apropria de suas forças e qualidades, assumindo ao mundo sua grandeza, você pode causar um grande incômodo em quem não esteja tão bem resolvido assim consigo mesmo. Para essas pessoas, nutrir pensamentos de repúdio a você será algo mais fácil e menos trabalhoso do que promover a mudança em suas próprias vidas, elevando o seu próprio nível de consciência.

E o que você pode fazer sobre isso? Nada. Afinal de contas, cada um só é responsável pelos seus próprios pensamentos, pois, não importa o quanto você queira ou tente, nunca terá o controle sobre o pensamento de nenhuma outra mente a não ser a sua própria.

As pessoas pensarão coisas, sim, e isso não afetará em nada o seu valor. O seu valor pessoal não está relacionado com os pensamentos dos outros. Ele diz respeito apenas aos seus próprios pensamentos e sentimentos sobre si mesmo, e as outras pessoas não têm nenhuma influência sobre isso.

Sempre que você teme o que os outros vão pensar ou deixa de ser quem é de verdade por isso, você perde a sua liberdade e o seu poder pessoal, afastando-se cada vez mais da força e da grandeza que existem dentro de você!

Então, que tal pegar toda a energia que você despende tentando controlar, adivinhar e influenciar o pensamento dos outros e concentrá-la em cuidar e nutrir os seus próprios pensamentos? Somente assim você se tornará livre e dono de si mesmo. Somente assim você conhecerá o seu valor e poderá se apropriar de toda a força, beleza e grandeza que habitam dentro de ti!

Sim, eu nasci para ser grande! Nasci para deixar que todo o meu brilho e força interior viessem ao mundo. E, se você, enquanto lê essas palavras, pensa “Quem é você para ser tudo isso?”, eu faço minhas as palavras de Marianne Williamson, eternizadas no discurso de Nelson Mandela, e te pergunto: “Quem é você para não ser tudo isso?”

Então, vem comigo!

“Você não deveria estar pulando carnaval.” Será mesmo?

De repente, minha timeline fica cheia de fotos e textos “sugerindo” que quem escolhe se divertir no carnaval é uma pessoa sem foco, sem compromisso com seus objetivos e que não alcançará os seus resultados. Não sei o que você pensa sobre isso, mas, sempre que vejo esse tipo de coisa, soa um alerta para mim de que estão tentando encaixotar os seus sonhos.

 

Nunca antes na história desse planeta ouvimos tanto o discurso do “Faça o que você ama”, “Viva fora da caixa”, “Seja você mesmo” e “Rompa com os padrões da sociedade”. E por que isso não se aplica também aos momentos de diversão? Será mesmo que a escolha pelo carnaval implica a abdicação do seu sonho? Será mesmo que sair para se divertir durante esses dias vai te afastar do seu grande objetivo de vida?

“Você é livre para pensar fora da caixa, desde que não veja TV, nem pule carnaval!” Acho meio incoerente esse discurso.

Existe um padrão para produtividade? Existe um “modus operandi” idêntico para todas as pessoas? Ou será que cada ser humano é único e deve viver de acordo com suas peculiaridades, valores, missões e objetivos?

A verdade é que esse discurso velado (ou nem tão velado assim) de repúdio à diversão, sob pena de lhe tirar o foco, é um grande sabotador da sua autoestima! Isso acontece por dois motivos:

1- Esse papo de “deve-não deve” ignora justamente o fato de que você é único, e que o que funciona para mim pode não funcionar para você, e tá tudo bem! Não vejo muita diferença entre a padronização de comportamento e a padronização da beleza, por exemplo. Afinal, são todos derivados de um mesmo pensamento de que há um único modo correto de ser/viver e, se você sair desse caminho, será uma pessoa inadequada e “pior” do que as outras.

2- Sempre que você dá ouvido a essa história e deixa de fazer o que realmente quer, você abala o seu relacionamento consigo mesmo, pois abre mão da sua própria felicidade por medo do que os outros pensarão de você. Temer a opinião alheia e deixar que isso conduza a sua vida é massacrante para a sua autoestima e faz com que você se afaste de si mesmo para tentar se aproximar do outro, que, por sua vez, está tentando te impor a forma de pensamento e comportamento dele!

Isso precisa parar! Só você sabe de si! Só você sabe o que você quer para a sua vida e como você funciona melhor. Você gosta de carnaval? Gosta de ver tevê? Gosta de sair para tomar cerveja com seus amigos? Não há nada de errado com isso! Fazer o que você tem vontade não vai te afastar do seu sonho. Acredito que você seja maduro o suficiente para saber equilibrar as coisas, para separar os momentos de diversão sem que isso afete a sua produtividade! Se você está realmente comprometido com um objetivo, tenho certeza que saberá equilibrar as coisas para conseguir fazer o que você precisa, sem ter que abrir mão de fazer o que tem vontade!

Pule carnaval, trabalhe, veja tevê, leia seus livros, medite, tome cerveja, tome chá, mas sempre faça aquilo que te faz bem!

Carnaval pra quem é de carnaval. Netflix pra quem é de Netflix. Trabalho para quem é de trabalho. E felicidade, alegria de viver e respeito para todo mundo!

Então, vem comigo!