4 Passos para Lidar com o Sofrimento

Recentemente passei por um momento de profundo sofrimento e isso me fez refletir sobre a maneira como lidamos com nossos sentimentos negativos, principalmente com o sofrimento e a dor da perda.

Este não é um texto de ode à dor. Não é mesmo, mas precisamos falar sobre o sofrimento e o jeito certo de vivê-lo, para que ele não cause estragos maiores no futuro.

Como diria minha diva Brené Brown, precisamos falar sobre as coisas que atrapalham. E nada atrapalha mais uma vida leve e plena do que sentimentos mal processados. Por isso, criei esse pequeno manual, com 4 passos poderosos para te ajudar a lidar com o sofrimento do jeito certo.

#1 – Não compare o seu sofrimento

É muito comum, no momento em que você está sofrendo, que outras pessoas (ou até você mesmo) apontem para alguém que aparentemente está vivendo um sofrimento maior do que o seu, na tentativa de te mostrar que a sua dor não é tão grande assim.

E qual o problema disso? Todos! A sua dor é sua. Ela existe e é importante para você. Sim, tem uma infinidade de pessoas neste exato momento vivendo problemas maiores que o seu, mas isso não é um conforto. Isso não expurga o sofrimento do seu coração ou faz com que os seus problemas se resolvam.

A sua dor não é menos importante do que a de ninguém e ela é o reflexo da sua vida, do seu mundo interior, de seus sentimentos e pensamentos.

Concordo que devemos ser sempre empáticos, solidários, fazer o que estiver ao nosso alcance para ajudarmos as pessoas a nossa volta e fazer o que nos cabe para diminuir o sofrimento do outro sempre que possível. Mas, sejamos honestos, negligenciar o seu sofrimento não vai ajudar ninguém.

Se você está mal, não importa o que tenha acontecido, você não superará esse sentimento tentando sufocá-lo.

#2 – Viva a sua dor

Esse passo é polêmico, eu sei, e eu já posso imaginar as cabeças abanando negativamente em veemente discórdia, mas, sim, você precisa viver a sua dor.

Sufocar o sentimento nunca será uma maneira eficaz de resolver as coisas. Muito pelo contrário, sempre que você ignora a sua dor ou não vive o seu luto, você está apenas adiando um problema. Você estará varrendo tudo aquilo para debaixo do tapete e, acredite em mim, mais cedo ou mais tarde isso vai voltar.

E os sentimentos reprimidos, quando decidem voltar, são capazes de fazer estragos enormes.

Claro que há uma diferença muito grande entre viver a sua dor e entregar-se a ela. Não estou falando para você se apegar aos sentimentos negativos e viver abraçado a eles, sem deixá-los partir.

O que estou falando é para você aceitar e acolher o seu sentimento, permitir que as feridas se cicatrizem e, então, seguir em frente.

A superação da dor é um processo que precisa ser respeitado. Ela vai passar e você vai voltar a ter uma vida normal, mas, para isso, é preciso respeitar o processo.

#3 – Peça ajuda

Você não precisa passar por isso sozinho. Na verdade, quando você tenta passar por isso sozinho, chances há de que o processo se torne mais demorado.

Nos momentos ruins, busque ajuda das pessoas que você ama e confia (e que sejam empáticas, pelo amor de Deus! A última coisa que você precisa é de alguém te dizendo para engolir o choro ou que venha com aquele papo de “pelo menos, bla bla bla…).

Pausa para um videozinho bem didático sobre empatia:

Uma boa conversa, por si só, já pode ser o suficiente para acalmar o seu coração e te ajudar a lidar com a situação com mais leveza e sabedoria.

Eu também tenho o hábito de buscar amparo nos livros e sempre é de muita valia para mim.

Claro, busque ajuda profissional sempre que necessário. Muitas vezes os livros e as conversas com os que amamos não são suficientes e precisamos do apoio de um profissional para nos ajudar nesses momentos de maior dor.

Lembre-se: pedir ajuda não é sinal de fraqueza, mas de força!

#4 – Encontre um sentido para o seu sofrimento

Esse passo eu adotei para a vida depois que li o livro “Em Busca de Sentido”, de Viktor E. Frankl.

O fardo se torna menos pesado sempre que encontramos um propósito para a dor que estamos vivendo, seja compreender que isso tudo será para um bem maior no futuro, seja vislumbrar no sofrimento uma possibilidade de ajudar alguém no futuro.

Depois que li esse livro e adquiri esse aprendizado, eu passei por três momentos de muita dificuldade e sofrimento e, enxergar algo maior do que a minha dor, mudou a forma como eu encaro e vivencio os momentos difíceis.

Se você quer se aprofundar nesse raciocínio, recomendo fortemente a leitura desse livro impactante e transformador.


E você tem alguma outra dica que pode ser útil para mim ou nossa comunidade? Escreva aqui embaixo nos comentários.

Então, vem comigo!