Carol Fagundes

Feliz Ano Novo

Sabe aquela animação que você sente no dia 01º janeiro? Você se sente agradecido por ter uma nova oportunidade. Começar tudo do zero. Virar a página e deixar pra trás todas as coisas ruins que aconteceram, encher-se de esperança nesse ano que está começando.

Um ano novo. Um livro novo, cheio de páginas em branco, para você escrever a história que quiser. E será uma história linda, porque esse ano é o seu ano! Você sabe disso. Você sente isso! Esse ano, meu amigo, não tem pra ninguém!

Nesse ano que começa você vai realizar todos os seus planos. Você vai se alimentar melhor, vai parar de fumar, vai se exercitar mais, será mais paciente, trabalhará menos, terá mais tempo para a sua família. Esse ano vai ser diferente!

Aposto que você está confuso agora, né? “Como assim feliz ano novo? Estamos em Março, Carol”.

Calma, não é disso que eu estou falando.

Não importa qual o dia em que você está lendo esse texto, o ano novo começa hoje!

Todo dia é 01º de janeiro. Todo dia é um recomeço. A cada amanhecer a vida quer te mostrar que o dia que raia é uma página em branco, imaculada e pronta para receber a sua nova história.

Todo novo dia é um dia novo (por mais redundante que isso possa soar). Todos os seus problemas ficaram no ontem, que não volta mais.

Cada raio de sol que invade o seu quarto pela manhã só o faz para te mostrar que a escuridão ficou no ontem e que o hoje traz infinitas possibilidades.

Hoje você pode tudo. Você pode fazer o que quiser, ser o que quiser! Você pode, inclusive, colocar em prática todos os planos que você disse que faria no ano novo, afinal de contas, o ano novo já chegou.

Cada dia é um ano novo! É o momento da renovação. É hora de deixar no passado tudo o que merece e precisa ficar para trás. Tempo de abrir espaço para deixar o novo entrar!

E como todo bom ano que começa, temos que fazer nossos rituais de passagem. Se você mora na praia, nem preciso te dizer o que fazer, né? Se você não mora, corra logo pro chuveiro e tome um belo banho de descarrego. Olha lá, as energias de ontem indo embora pelo ralo…

Renove-se. Alimente-se bem. Dê ao seu corpo o melhor combustível possível, temos muita coisa para realizar e precisamos ter disposição! Demonstre todo o seu amor a quem você ama. Dê aquele abraço bem apertado e sincero (o mesmo que você dá no dia 31/12) e deseje, de coração, tudo de melhor para todo mundo. Perdoe os seus desafetos. As desavenças são passado. Tudo o que não te serve mais é passado.

Sinta essa energia incrível e nova vibrando dentro de você!

Escuta. Você também tá ouvindo? Começou a contagem regressiva…

10… 9… 8… Então, Vem Comigo!

4 Passos para Lidar com o Sofrimento

Recentemente passei por um momento de profundo sofrimento e isso me fez refletir sobre a maneira como lidamos com nossos sentimentos negativos, principalmente com o sofrimento e a dor da perda.

Este não é um texto de ode à dor. Não é mesmo, mas precisamos falar sobre o sofrimento e o jeito certo de vivê-lo, para que ele não cause estragos maiores no futuro.

Como diria minha diva Brené Brown, precisamos falar sobre as coisas que atrapalham. E nada atrapalha mais uma vida leve e plena do que sentimentos mal processados. Por isso, criei esse pequeno manual, com 4 passos poderosos para te ajudar a lidar com o sofrimento do jeito certo.

#1 – Não compare o seu sofrimento

É muito comum, no momento em que você está sofrendo, que outras pessoas (ou até você mesmo) apontem para alguém que aparentemente está vivendo um sofrimento maior do que o seu, na tentativa de te mostrar que a sua dor não é tão grande assim.

E qual o problema disso? Todos! A sua dor é sua. Ela existe e é importante para você. Sim, tem uma infinidade de pessoas neste exato momento vivendo problemas maiores que o seu, mas isso não é um conforto. Isso não expurga o sofrimento do seu coração ou faz com que os seus problemas se resolvam.

A sua dor não é menos importante do que a de ninguém e ela é o reflexo da sua vida, do seu mundo interior, de seus sentimentos e pensamentos.

Concordo que devemos ser sempre empáticos, solidários, fazer o que estiver ao nosso alcance para ajudarmos as pessoas a nossa volta e fazer o que nos cabe para diminuir o sofrimento do outro sempre que possível. Mas, sejamos honestos, negligenciar o seu sofrimento não vai ajudar ninguém.

Se você está mal, não importa o que tenha acontecido, você não superará esse sentimento tentando sufocá-lo.

#2 – Viva a sua dor

Esse passo é polêmico, eu sei, e eu já posso imaginar as cabeças abanando negativamente em veemente discórdia, mas, sim, você precisa viver a sua dor.

Sufocar o sentimento nunca será uma maneira eficaz de resolver as coisas. Muito pelo contrário, sempre que você ignora a sua dor ou não vive o seu luto, você está apenas adiando um problema. Você estará varrendo tudo aquilo para debaixo do tapete e, acredite em mim, mais cedo ou mais tarde isso vai voltar.

E os sentimentos reprimidos, quando decidem voltar, são capazes de fazer estragos enormes.

Claro que há uma diferença muito grande entre viver a sua dor e entregar-se a ela. Não estou falando para você se apegar aos sentimentos negativos e viver abraçado a eles, sem deixá-los partir.

O que estou falando é para você aceitar e acolher o seu sentimento, permitir que as feridas se cicatrizem e, então, seguir em frente.

A superação da dor é um processo que precisa ser respeitado. Ela vai passar e você vai voltar a ter uma vida normal, mas, para isso, é preciso respeitar o processo.

#3 – Peça ajuda

Você não precisa passar por isso sozinho. Na verdade, quando você tenta passar por isso sozinho, chances há de que o processo se torne mais demorado.

Nos momentos ruins, busque ajuda das pessoas que você ama e confia (e que sejam empáticas, pelo amor de Deus! A última coisa que você precisa é de alguém te dizendo para engolir o choro ou que venha com aquele papo de “pelo menos, bla bla bla…).

Pausa para um videozinho bem didático sobre empatia:

Uma boa conversa, por si só, já pode ser o suficiente para acalmar o seu coração e te ajudar a lidar com a situação com mais leveza e sabedoria.

Eu também tenho o hábito de buscar amparo nos livros e sempre é de muita valia para mim.

Claro, busque ajuda profissional sempre que necessário. Muitas vezes os livros e as conversas com os que amamos não são suficientes e precisamos do apoio de um profissional para nos ajudar nesses momentos de maior dor.

Lembre-se: pedir ajuda não é sinal de fraqueza, mas de força!

#4 – Encontre um sentido para o seu sofrimento

Esse passo eu adotei para a vida depois que li o livro “Em Busca de Sentido”, de Viktor E. Frankl.

O fardo se torna menos pesado sempre que encontramos um propósito para a dor que estamos vivendo, seja compreender que isso tudo será para um bem maior no futuro, seja vislumbrar no sofrimento uma possibilidade de ajudar alguém no futuro.

Depois que li esse livro e adquiri esse aprendizado, eu passei por três momentos de muita dificuldade e sofrimento e, enxergar algo maior do que a minha dor, mudou a forma como eu encaro e vivencio os momentos difíceis.

Se você quer se aprofundar nesse raciocínio, recomendo fortemente a leitura desse livro impactante e transformador.


E você tem alguma outra dica que pode ser útil para mim ou nossa comunidade? Escreva aqui embaixo nos comentários.

Então, vem comigo!

cuide da sua autoestima

Pare de sabotar a sua autoestima

Quer cultivar uma boa autoestima? Então você precisa admitir uma coisa: pegar pesado consigo mesma não está funcionando. Durante toda a sua vida você foi dura consigo mesma, despejando toneladas de críticas e julgamentos cruéis sobre si durante anos a fio. Agora, faça uma análise desse comportamento: deu certo? Isso fez com que você se sentisse melhor ou que se motivasse a se tornar uma pessoa melhor?

Hum… acho que não, né? Então por que insistir nesse padrão falho? Por que continuar se punindo, criticando, julgando e destacando suas falhas?

Como você pode perceber, isso não vai te levar a lugar algum. Ou melhor, vai sim, esse comportamento vai te conduzir a um lugar de tristeza, desamor e baixa autoestima.

Sempre que você se critica e ressalta seus defeitos, você passa para o seu inconsciente a mensagem de que você é inadequada, que não é boa o suficiente e que não é merecedora de amor, felicidade, sucesso e coisas boas.

Esse comportamento é um golpe fatal na sua autoestima, que se enfraquece a cada nova crítica.

Não adianta vir me dizer que apontar os seus erros é o caminho para o autoaprimoramento, pois não é! Você não se torna melhor ou mais autoconfiante ao enfiar o dedo nas próprias feridas e apontar suas falhas de forma rude e agressiva. Ninguém se sente incentivado e estimulado dessa maneira.

E a maior prova do que acabei de falar é que você tem feito isso durante toda a sua vida e não conseguiu se amar ou valorizar mais dessa forma. Então, eu repito, por que continuar assim?

Eistein (aquele lindo) já dizia que “insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. Então, para cultivar o amor-próprio e uma boa autoestima, chegou a hora de mudar esse comportamento.

Experimente romper com o padrão das críticas e reprovação. Procure olhar para si mesma com olhos mais generosos, cultivando o carinho e autocompaixão e você verá o quanto as coisas mudarão aí dentro de você e, claro, no mundo ao seu redor.

É só você pensar em como seria essa prática em um relacionamento com outra pessoa. Você amaria alguém que vive te insultando, criticando, julgando e apontando seus erros? Você teria vontade de agradar e cuidar de alguém que te proferisse todo o tipo de ofensa e diminuísse você todos os dias? Não seria muito mais fácil amar e cuidar de alguém que te lembrasse todos os dias o quanto você é importante e especial? Como você se sentiria na presença de alguém que se importa com você, que te valoriza e aprecia?

Não precisa muito esforço para adivinhar que será muito mais fácil gostar da pessoa com este último padrão de comportamento, né?

É exatamente igual no relacionamento com você mesma

Você vai apreciar e gostar muito mais de você a partir do momento que começar a adotar uma postura mais carinhosa e generosa consigo mesma. O crescimento será um caminho muito mais natural e fácil quando você passar a apreciar e ressaltar suas características positivas e parar de ficar colocando o dedo nas feridas da sua alma.

Isso tudo depende de você e é um padrão de comportamento que pode ser cultivado, começando agora mesmo.

Para isso, experimente listar 5 coisas que você admira e aprecia em você.

Pegue papel e caneta e mostre para você mesma que você está disposta a se tratar com mais carinho e reconhecer tudo de bom que você já tem, que você já é!

Assim que terminar, escreva aqui nos comentários dizendo como você se sentiu ao dar esse novo passo! Quero muito saber mais sobre você 🙂

Então, vem comigo!

Pare de esperar: o amor nunca vai chegar.

Volta e meia ouço por aí pessoas dizendo que estão esperando o amor chegar em suas vidas. Esse tipo de afirmação sempre tem um quê meio poético, meio romântico, mas chegou a hora de acabar de uma vez por todas com essa ilusão.

Olha, sinto muito ter de ser eu a portadora de tão más notícias, mas o amor NUNCA vai chegar.

Não me entenda mal, não sou uma dessas pessoas amargas que não acreditam no amor ou que têm nessa palavra o sinônimo de “sofrimento inevitável”.

Não é nada disso. Eu acredito muito no amor, sou completamente alucinada por ele e afirmo, sem medo de errar, que o amor está presente em todos os momentos da minha vida.

Só que não posso ser conivente com esse tipo de pensamento que te ilude e faz sofrer, de que o amor chegará em sua vida, em uma bela tarde primaveril, arrebatando o seu coração e te levando em um cavalo branco rumo ao felizes para sempre.

Isso é uma grande ilusão!

Não sei qual é o problema da nossa sociedade com o amor, nem por que as pessoas insistem em idealizar esse sentimento ou até mesmo em estipular um padrão sobre o jeito certo de amar. Também não consigo entender a origem desse ideal do amor que chega de repente, como a solução de todos os problemas, fazendo você experimentar a verdadeira felicidade.

A única coisa que eu sei é que quem inventou (e também quem propaga) essa história não entende patavinas sobre o amor.

Pensar que o amor é algo que chega na forma de uma outra pessoa e te convida para a felicidade é tão sensato e racional como achar que a solução para os conflitos da humanidade será trazida por extraterrestres verdes e cabeçudos, que desembarcarão na Terra em uma espaçonave toda paramentada com luzinhas multicoloridas.

Bizarro? Mas essa imagem é tão “real” quanto a idealização do amor que vem de fora, personificado em um príncipe encantado.

O amor vai sim acontecer na sua vida, mas para isso ele precisa existir primeiro dentro de você.

Para experimentar as maravilhas de uma vida repleta de amor, ter um relacionamento amoroso saudável e viver todos os dias de forma intensa e verdadeira, você precisa cultivar o amor por você mesma.

Buscar o amor do lado de fora, como forma de fugir da solidão ou de suprir esse vazio que existe aí dentro é fonte certa de frustração e sofrimento, pois ninguém será capaz de te dar aquilo que não existir primeiro dentro de você.

Se você não se conhece, não se ama, não se valoriza, nem se respeita, é impossível que alguém faça isso por você. O outro não tem condições de realizar uma tarefa que é apenas sua. E, por mais que ele tente com toda a dedicação do mundo, você nunca ficará satisfeita e sempre terá aquela sensação de que está faltando alguma coisa. Isso sem falar em todos os malefícios que a falta de amor-próprio provoca em um relacionamento, tais como ciúmes, inveja, intolerância.

Já dizia Osho com sua sabedoria oriental “Antes que você possa se relacionar com alguém, relacione-se consigo mesmo. Este é o requisito básico para se sentir realizado. Sem ele, nada é possível. Com ele, nada é impossível.”

Você tem dentro de si uma fonte abundante e inesgotável de amor, pois o amor faz parte de quem você é. Para acessar esse sentimento maravilhoso e permitir que ele floresça também do lado de fora, volte-se para dentro. Comece a se conhecer de verdade, a resgatar a sua essência, desfazendo-se desse personagem que você construiu ao longo da vida movida por aquela sensação de que você não é boa o bastante.

Você é boa o bastante. E é incrível, especial, única e merecedora de todo o amor desse mundo. Então, permita-se sentir todo esse amor e carinho por você mesma. Trate-se com gentileza e cuidado, cuide de si mesma com carinho e descubra o quanto você é linda e interessante. Apaixone-se por você.

Deixe vir ao mundo todo esse amor que existe aí dentro e você o verá transbordar para o lado de fora, em sua vida, seu trabalho, seus relacionamentos e até mesmo na sua aparência.

Pare de esperar que ele chegue. Comece a cultivar o amor de verdade no único lugar do mundo em que isso é possível: dentro de você.

Então, vem comigo!

Gostou desse texto? Então deixe aqui embaixo o seu comentário me contando mais sobre você. E lembre-se de se cadastrar em minha lista vip, para receber conteúdo exclusivo meu toda semana. É só CLICAR AQUI.

30 coisas que aprendi nos meus 30 anos

Essa semana eu completei 30 anos! Eu não sei se isso já aconteceu com você, mas eu ficava fantasiando sobre como seria a minha vida quando eu atingisse essa idade tão emblemática! Adivinha? Nada saiu como a fantasia, mas eu hoje sou feliz como jamais pensei que fosse possível!

Esse momento tão repleto de significado me fez refletir muito sobre tudo o que aprendi ao longo desses anos e escolhi 30 coisas que aprendi para compartilhar com você!

1- Sempre é hora de recomeçar

Eu estou velho demais. Quem nunca ouviu, falou ou pensou isso? Na verdade, essa é apenas mais uma das mentiras que contamos para nós mesmos, pois nunca existe “tarde demais” para começar a ser feliz! Pode acreditar em mim. Eu recomecei a minha vida aos 25 anos e, pouco tempo antes disso, achava que já estava velha demais e que tinha perdido a minha chance de ser feliz. Ainda bem que parei de dar ouvidos a essa besteira, pois os últimos cinco anos foram os mais intensos e bem vividos de toda a minha vida!

2- A gente faz planos. A vida ri.

Ah, a incrível arte de fazer planos! Acreditamos mesmo que estamos no controle de tudo, até que vem a vida e nos faz dançar de acordo com a sua música! Sim, é importante fazer planos e estabelecer metas, mas lembremo-nos de que coisas acontecem e o único controle que temos é sobre como escolhemos nos sentir e lidar com tudo isso!

3- Não tinha como ser diferente.

Não, não poderia ser diferente! Eu fiz o meu melhor e agi de acordo com as condições de temperatura e pressão que eu tinha naquele momento. Tentar reviver os fatos e reconstruir o passado é uma grande perda de tempo! Todas aquelas cabeçadas na parede me trouxeram muita sabedoria e aprendizado e eu não seria quem sou se não tivesse vivido tudo o que vivi.

4- Tudo sempre fica bem no final.

O ditado popular bem que já dizia: no final, tudo dá certo. E dá mesmo! Todas aquelas preocupações e noites insones foram em vão, porque nem mesmo o meu medo pode mudar o fato de que no final, tudo se resolve da melhor maneira e fica tudo bem, obrigada!

5- A beleza da viagem está em contemplar o caminho.

A felicidade não é um destino, mas uma viagem. Todos os percalços que vivi me ensinaram a apreciar a paisagem e a efemeridade de cada momento, pois é justamente aí que a felicidade se encontra. Quando você se dá conta do quão frágil é a vida, você aprende a ser feliz no único espaço de tempo em que isso é possível: no agora!

6- Confie em si mesmo e o céu é o limite.

Tudo é possível para quem acredita em si mesmo! Não há nada mais poderoso neste mundo do que a fé que você tem em si mesmo. Quando confiamos em nós, o impossível se torna apenas mais uma palavra, que, por si só, não exerce nenhum poder sobre a nossa vida. A autoconfiança é um exercício diário em minha vida, mas vale a pena, pois quanto mais eu confio em mim, mais eu me torno capaz!

7- O autoconhecimento é a resposta para todas as perguntas.

Todas as respostas que procuramos já estão dentro da gente. Acredite em mim, saber disso vai te poupar um esforço tremendo. Quando precisar de uma resposta, silencie, volte-se para dentro de si e faça a pergunta.

8- A gente é muito mais forte do que imagina.

Sabe quando tudo desmorona e você acha que não vai aguentar? Você vai sim, porque você é muito mais forte do que imagina! Eu passei por coisas que eu jamais imaginava que vivenciaria um dia. No último ano, em especial, essas coisas aconteceram uma após a outra, mas eu dei conta, porque tenho toda a força do mundo dentro de mim!

9- O preconceito é o ladrão de momentos inesquecíveis.

O preconceito nos impede de conhecer um mundo novo e viver momentos impagáveis. Quando resolvi aposentar o meu, eu me permiti a conhecer verdadeiramente as pessoas e me deixei encantar por elas.

10- Coragem não é ausência de medo.

Eu sempre fui uma pessoa corajosa, mas nunca destemida! Eu só tive consciência da minha coragem quando aprendi que ela não é a ausência de medo. Coragem é viver apesar do medo. E, mesmo estando apavorada, eu respirei fundo e fui… Ainda bem!

11- Gratidão – use sem moderação!

A gratidão foi uma das mais importantes lições que aprendi na vida. Agradeça e esteja aberto para receber o que a vida tem a oferecer.  Como eu te disse, as coisas nem sempre (ou quase nunca) saem conforme o planejado, mas elas acontecem da melhor forma para nós naquele momento. Aprendi a ser grata não só pelas coisas boas, mas também por aquelas que a princípio me parecem ruins, pois sei que a vida é regida por uma sabedoria que eu ainda não compreendo e, como já vimos por aqui, tudo sempre fica bem no final!

12- Sucesso, sem felicidade, é fracasso.

Você pode ter preenchido todos os requisitos da “vida de sucesso”, mas se você não estiver verdadeiramente feliz, todo o seu “império” não tem valor nenhum! Não tenha medo de deixá-lo para trás. E, se você ainda não estiver muito certo disso, releia os itens 1, 5, 6, 7, 8 e 10.

13- A mente é algo magnífico. Use-a em seu favor!

A nossa mente é muito poderosa e ela pode nos limitar ou nos impulsionar na vida. Tudo vai depender da forma como escolhemos utilizá-la. Sim, é uma escolha e ela não de mais ninguém a não ser de você mesmo.

14- Essa vozinha que fica falando na nossa cabeça não é nossa amiga.

Poucas coisas limitam tanto o nosso potencial quanto essa vozinha faladora de asneiras que mora na nossa cabeça! Sempre que damos ouvidos a ela, nós a fortalecemos e damos início a um ciclo destrutivo de sonhos. Encha-se de coragem e diga para ela que agora você é a voz e que os tempos de glória dela estão encerrados.

15- A felicidade não é padronizável.

Não existe um modo correto de viver ou de ser feliz. Seguir as regras que conduziam àquela felicidade padronizada só me fizeram ir com mais velocidade para o fundo do poço. A felicidade é uma definição peculiar e única de cada indivíduo! Qual é a sua?

16- Sem perdão a gente não chega a lugar nenhum.

Jesus já nos disse para perdoar 70 vezes 7 vezes, mas a verdade é que a gente pode arredondar esse sete para infinito e viver com o modo perdão ativado! Perdoar a nós mesmos e aos outros é a única forma de conhecermos a paz interior e nos libertarmos das amarras do sofrimento e da dor.

17- Arrisque-se!

A vida acontece fora da nossa zona de conforto. Para viver mais intensamente, precisamos arriscar mais, nos jogar um pouco e depois ver o que acontece. Vivi momentos inesquecíveis e maravilhosos quando decidi abandonar o seguro e confortável!

18- O seu futuro não tem que ser igual ao seu passado!

Young tem uma frase fantástica “Eu não sou o que aconteceu comigo. Eu sou o que escolho me tornar”. O passado não é uma sentença de vida. O futuro é o que escolhemos fazer dele. Pode sim ser igual ao passado, mas isso é apenas uma escolha nossa. Eu escolhi transformar a minha vida, escolhi ser mais do que o que aconteceu comigo. Escolhi me tornar uma mulher forte, empoderada, segura e criadora da minha realidade. E está tudo indo muito bem!

19- Acredite nos seus sonhos.

Os sonhos são coisas muito engraçadas. Basta você revelá-los ao mundo para que as pessoas comecem a despejar em cima de você seus medos e frustrações, tentando te convencer que aquilo é impossível. Mas eu aprendi a acreditar nos meus sonhos, não importa o que me digam. Resolvi dar um belo “dane-se” para as estatísticas, probabilidades e tudo o mais que resolvessem me mostrar para me convencer a mudar de ideia. E justamente por acreditar, estou conseguindo realizá-los!

20- O amor não está lá fora.

Desses 30 anos, 25 eu passei em uma busca desesperada pelo amor. Vivia procurando nos outros esse sentimento, em pessoas, coisas… 25 anos de sofrimentos e uma busca frustrada, que me machucou muito. E o que aconteceu nos outros 5? Nos outros 5 eu finalmente encontrei o amor. Só que, para a minha surpresa, ele não estava onde eu buscava. O amor estava esse tempo todo bem aqui, dentro de mim! Depois de ter feito essa descoberta, eu pude enfim me entregar a esse sentimento magnífico! E, ao fortalecê-lo dentro de mim, eu abri espaço para que ele existisse também do lado de fora, em meus relacionamentos!

21- Quem viaja mais leve, chega mais longe.

A gente tem um péssimo hábito de viajar com excesso de bagagem. Trazemos conosco tanto peso, tanta coisa inútil, que a jornada que era para ser leve e prazerosa se transforma em um martírio, com dores desnecessárias. Não me refiro às malas que levamos no trem, mas à bagagem emocional que insistimos em carregar conosco, dando peso excessivo aos acontecimentos da vida. Sempre que não nos desapegamos do passado, das coisas, pessoas, sentimentos, nós vivemos com sobrepeso e tornamos mais difícil a nossa caminhada. Desfaça-se do que não é mais necessário e você também poderá experimentar como é maravilhoso viajar mais leve!

22- Ficar só pode ser maravilhoso!

Eu me apavorava com a ideia de ficar na minha própria companhia. Era tão desconfortável! Quando eu ficava sozinha em público, eu só conseguia temer o julgamento das pessoas, o que possivelmente estariam dizendo ou pensando sobre mim. Já quando eu ficava sozinha em particular, o desconforto era ainda maior, porque eu já não tinha mais a distração do medo do julgamento alheio para ocupar a minha mente. Eu acreditava que me sentir confortável na minha própria companhia significava abraçar a ideia da solidão. Ledo engano! Com o tempo eu aprendi que estar na minha companhia é algo maravilhoso, que me energiza e faz com que eu me sinta inteira e segura. Sempre que reservo um tempo para estar comigo, eu consigo ficar mais presente quando estou na companhia de outras pessoas. Eu sei que sou um ser inteiro e que não preciso de outra pessoa para me completar. Isso faz com que eu aprecie com mais leveza uma companhia, não pela necessidade de completude, mas pelo prazer de compartilhar o momento!

23- Se nós conhecêssemos as dores dos nossos inimigos, eles seriam nossos amigos.

As pessoas que nos fazem mal estão em estado de profundo sofrimento. Ter essa consciência me permitiu liberar a mágoa e ressentimento que havia em meu coração, tornando o perdão algo leve e natural! Sim, todos nós uma dia vamos encontrar pessoas em nossa vida que nos farão algum tipo de mal, quando isso acontecer lembre-se que se nós conhecêssemos as dores dos nossos inimigos, eles seriam nossos amigos!

24- Ouvir é amar.

Às vezes as pessoas que estão à nossa volta só precisam ser ouvidas. Isso era algo muito difícil para mim, pois eu me inflamava com muita facilidade e respondia prontamente a todos, principalmente quando os envolvidos eram meus familiares. Mas eu aprendi com a vida que apenas ouvir é um lindo gesto de amor e que muitas vezes é só disso que as pessoas precisam. Sempre que me calo para apenas ouvir, lembro-me de uma frase que um dia ouvi (não sei mais de quem) “você tem 2 ouvidos e 1 boca, use-os nessa proporção”.

25- A única coisa que nos impede de ir mais longe somos nós mesmos.

Ah, como eu era mestra em culpar os outros pelas minhas próprias limitações. Acho que apontar o dedo para culpar o outro e me vitimizar era meu passatempo predileto! Só que o outro nunca foi responsável pela minha limitação. Se eu não estava vivendo o que eu queria, a única responsável por isso era eu mesma. Nenhuma pessoa, condição ou qualquer outro fator externo está te impedindo de fazer o que você quer. A única coisa que te impede de ir mais longe é você mesmo. Quando eu tive essa compreensão, pude então retomar as rédeas da minha vida, para levá-la exatamente para onde eu queria que ela fosse.

26- Esteja aberto para receber.

Receber não é sinal de fraqueza! Eu me recusava a receber coisas das pessoas, desde presentes a gentilezas, como por exemplo alguém me pagar um café ou um jantar. Ainda bem que aprendi a tempo que estar aberta para receber era me conectar com a abundância do Universo! Hoje eu recebo com gratidão o que quer que o Universo queira me dar, seja um lindo presente, seja uma situação desafiadora. Aprendi a receber de braços abertos todas as bênçãos que são derramadas sobre mim, até mesmo aquelas que vêm disfarçadas de problemas.

27- Não compare o palco dos outros com o seu bastidor.

A comparação é extremamente maléfica para a nossa autoestima. Eu já poderia parar por aqui, mas ela pode ser ainda mais prejudicial quando comparamos o palco do outro com os nossos bastidores. Quando vemos alguém no palco, tendemos a acreditar que aquela pessoa é assim naturalmente, que tudo é fácil, lindo, tudo flui e que a vida do outro é uma superprodução hollywoodiana.

Só que por trás dos resultados que vemos na vida alheia há uma tonelada de esforço que desconhecemos, e quando olhamos para a nossa vida, tendemos a desacreditar de nós mesmos, pois nossa vida pode ser tudo, menos uma superprodução hollywoodiana. O palco do outro é o que ele escolhe mostrar, mas também é fruto de um bastidor tão atribulado e bagunçado quanto o nosso. Quando tive essa compreensão, eu passei a olhar apenas para os meus esforços e concentrar ali toda a energia para fazer acontecer.

28- A autoestima é o nosso maior ativo.

Esse sem dúvidas foi o aprendizado que revolucionou toda a minha vida! Tudo em minha volta se transformou a partir do momento em que eu comecei a fortalecer a minha autoestima e tive consciência sobre o meu valor diante da vida! A autoestima é a base de tudo, ela é o pilar sobre o qual construímos a nossa existência. Nossa edificação só será sólida e segura quando construída sobre uma base consistente. Essa base é a autoestima e ela é sem dúvida o ativo mais importante que aprendi a cultivar e manter sempre fortalecido.

29- Quando você se compromete, você faz acontecer.

O comprometimento é o grande segredo para gerar resultados. Quando você se compromete, você faz acontecer e enfrenta toda a sorte de desafios que surgem pelo caminho. Eu só fui capaz de criar a minha vida incrível a partir do momento em que me comprometi com isso. Eu prometi a mim mesma que não aceitaria para minha vida nada menos do que o sensacional. Não foi fácil. Ah, não foi mesmo! Mas eu estava comprometida e isso me deu forças para fazer acontecer!

30- O melhor ainda está por vir…

Aprendi com a vida que, mesmo com todas as coisas maravilhosas que já vivi, o melhor ainda está por vir!

E você? Qual a principal lição que você aprendeu com a vida? Escreva aqui embaixo nos comentários! =)

Então, vem comigo!

3 coisas que nunca te contaram sobre procrastinação

Com uma coisa eu preciso concordar: a procrastinação é aquilo que está bloqueando o seu caminho, posicionando-se entre você e o seu objetivo.

Procrastinar é a arte de deixar para amanhã tudo aquilo que você já deveria ter feito ontem. Ser um procrastinador é ser um mestre na arte de enrolar.

Nunca antes na história da humanidade o monstro da procrastinação teve tanto alimento como no momento atual. Todas aquelas notificações pulando na tela do seu celular, seus amigos mandando memes e vídeos nos grupos de WhatsApp (pausa dramática para os grupos de WhatsApp…) e as novas fotos da musa fitness no Instagram simplesmente te obrigam a parar tudo o que você está fazendo e ir lá checar toda aquela vida acontecendo nas redes sociais.

O resto da história acho que você já conhece muito bem. Trabalhos atrasados, tarefas sendo feitas no último dia do prazo, pilha de afazeres te deixando maluco e noites em claro para tentar colocar as coisas em dia. Mas o Candy Crush… esse vai muito bem, obrigado!

Até aí, nenhuma novidade. Esse assunto é até meio batido, eu confesso, e há inúmeros outros aplicativos para te ajudar a gerenciar melhor suas atividades e sua rotina, a fim de te transformar de um procrastinador em alguém uber produtivo!

Todos esses métodos para te ajudar a se manter focado e produtivo são muitos válidos, sim, mas eles não vão resolver o seu problema. Sabe por quê? Porque usar esses recursos isoladamente só vai curar os sintomas de um problema que é muito maior e mais profundo do que a sua necessidade vital de checar as suas redes sociais.

O que é realmente novo aqui é a procrastinação pode estar diretamente relacionada com a sua autoestima. Sim, exatamente isso que você leu! E para que você entenda melhor como isso acontece, deixe que eu te conte as 3 coisas que nunca te contaram sobre a procrastinação:

1- Procrastinar afeta brutalmente a sua autoestima.

Toda vez que você deixa de fazer as coisas que deveria estar fazendo, aquelas tarefas que estão ali em stand-by passam um recado para o seu inconsciente. Ao deixá-las para depois, elas não desaparecem nem da sua vida e nem da sua mente, ou seja, você fica se lembrando delas e pensando que uma hora vai ter resolver tudo isso. Sempre que isso acontece, sempre que você se lembra delas, você passa uma mensagem poderosa para o seu inconsciente, dizendo que você não é uma pessoa capaz, que não sabe nem gerir a sua própria vida, que não consegue terminar o que começou, que não dá conta de fazer as suas coisas…

Isso tudo que você se diz inconscientemente fica ali registrado e afeta brutalmente a sua autoconfiança e a sua sensação de capacidade, minando a sua autoestima

2- A procrastinação pode ser um ato de autossabotagem.

No item anterior você entendeu como a sua procrastinação afeta a sua autoestima, agora vai perceber o quanto a procrastinação pode se originar dela. Se você estiver se sentindo um pouco confuso com todo esse papo de autoestima, permita-me fazer um pequeno esclarecimento. Autoestima não tem nada a ver com sua aparência, com sentir-se bonito ou feio. Autoestima diz respeito ao seu sentimento de valor diante da vida. É você viver em um estado de profundo autoconhecimento e saber que você é uma pessoa única no mundo, que não há ninguém em todo o Universo igual a você e isso te faz muito especial. Ter uma boa autoestima é confiar em sua própria capacidade de gerenciar a sua vida e tomar boas decisões, além de se sentir merecedor de amor, felicidade e sucesso.

Depois desse esclarecimento fica mais fácil te explicar como uma baixa autoestima afeta a sua produtividade, usando a procrastinação como um verdadeiro ato de autossabotagem. Quando você não se sente merecedor de amor, felicidade e sucesso, agir de modo a obter todas essas coisas seria algo muito incoerente, e o seu inconsciente odeia incoerências. Se você fizer todas as suas tarefas no tempo certo e cumprir as atividades estabelecidas, isso vai te gerar um resultado legal, ok? Só que no fundo, no fundo (de novo, lá nos mares revoltos do seu inconsciente)você não se considera merecedor daquele resultado e, o seu inconsciente para dar um jeito nessa incoerência e fazer com que você tenha apenas os resultados que sente que merece, trata de agir, fazendo com que você procrastine e se afaste daquele objetivo.

3- A procrastinação pode ser apenas medo.

Pode ser também que você esteja deixando de fazer as suas tarefas apenas porque tem medo de não dar conta delas. Sim, é mais uma vez uma manifestação de baixa autoestima em um movimento encabeçado pelo danado do seu inconsciente!

Um dos sintomas da baixa autoestima é não se sentir bom o suficiente, não se sentir capaz e não se considerar apto a gerenciar a sua vida. Quando se tem uma autoconfiança baixa, uma simples tarefa a ser executada pode representar um verdadeiro sinal de perigo para você, gerando um medo de não conseguir realizar aquilo e fracassar. Aí, mais uma vez o seu inconsciente entra em cena (Não brigue com o seu inconsciente! Ele é um cara legal, eu juro! E só age assim achando que é para o seu bem, porque ele está vendo as coisas por um outro ângulo!). Assim, ele dá logo um jeito de te fazer procrastinar e deixar aquela atividade para outra hora, pois acredita que agindo dessa forma ele estará te poupando de sofrimento!

Incrível como sua mente funciona, não é mesmo? Eu também acho! Mas não precisa se desesperar ou achar que você está refém dela! Sei que dá uma assustada ficar sabendo de tudo isso assim, de uma vez só, mas saiba que agora você já tem consciência sobre isso! E ter consciência é o primeiro passo para transformar as situações que nos desagradam.

A partir de hoje você pode ficar mais atento à sua procrastinação, perceber que você está procrastinando e fazer uma pequena investigação interna, de por que está agindo assim, eliminando de uma vez por todas os pontos cegos que estavam te bloqueando e te impedindo de viver plenamente!

Missão cumprida! Já te revelei as 3 coisas que nunca te contaram sobre procrastinação, mas não posso ir embora sem te dar uma dica e dar uma mãozinha para você sair desse ciclo o mais rápido possível!

Dica da Coach: Faça uma lista de todas as tarefas e afazeres que estão pendentes. Depois de enumerados todos eles, escolha os mais simples e comece a executar um de cada vez. Quando você começa pelos mais fáceis, você termina mais rapidamente e a sua autoestima é alimentada por cada item da listinha que você riscar. Assim, você para de mandar a mensagem para o seu cérebro de que não é capaz, substituindo-a pela afirmação de que você é sim um realizador e tem capacidade para gerenciar a sua vida!

Além disso, a cada pequena tarefa realizada, você se enche de ânimo e energia para realizar as atividades grandes e cabeludas que também estão de esperando! Vai por mim, a sensação de ser um realizador é tão boa que você vai se animar ainda mais para zerar a sua lista!

Com uma tacada só você se livra das atividades acumuladas e ainda faz um movimento de fortalecer a sua autoestima, reduzindo as chances de que você procrastine novamente!

Gostou desse texto? Então deixe um comentário para mim aqui embaixo, porque vou adorar saber mais sobre você!

Então, vem comigo!

O medo de ser grande e do que os outros vão pensar

Eu sempre soube que nasci para ser grande. Dentro de mim algo sempre disse que havia um futuro espetacular a esperar por mim, repleto de realizações e que eu faria mudanças de grande impacto na vida das pessoas.

Há algum tempo eu jamais diria essas palavras em voz alta, afinal de contas, o que as pessoas iriam pensar? Será que me achariam arrogante? Será que pensariam que sou metida demais?

A grande verdade é que as pessoas pensarão coisas, sim, mas isso está longe de ser um problema meu.

Sei que esse também é um dos seus grandes medos “O que as pessoas vão pensar?”, e que talvez por isso ainda não tenha assumido ao mundo todo o seu potencial. Por esse motivo vim ter essa conversa com você, para te contar algumas coisas que aprendi sobre esse assunto.

Claro que as pessoas pensarão coisas a seu respeito, e talvez não sejam coisas boas mesmo, mas você não pode fazer nada sobre isso. Os pensamentos que as pessoas têm sobre você dizem muito mais sobre elas mesmas do que sobre você, pois o que pensam não está relacionado com as suas atitudes, mas sim com o nível de consciência e realização pessoal delas próprias.

Uma pessoa com um elevado nível de consciência tende a não julgar os outros, nem a projetar neles as suas próprias sombras, dores e frustrações. Já alguém com um nível de consciência mais baixo, não hesita em transferir para o outro a responsabilidade pelos seus próprios problemas, nem em recriminar e se ofender com a postura altiva e segura de quem conhece, acredita e confia em si mesmo.

Logo, quando você conhece o seu potencial e se apropria de suas forças e qualidades, assumindo ao mundo sua grandeza, você pode causar um grande incômodo em quem não esteja tão bem resolvido assim consigo mesmo. Para essas pessoas, nutrir pensamentos de repúdio a você será algo mais fácil e menos trabalhoso do que promover a mudança em suas próprias vidas, elevando o seu próprio nível de consciência.

E o que você pode fazer sobre isso? Nada. Afinal de contas, cada um só é responsável pelos seus próprios pensamentos, pois, não importa o quanto você queira ou tente, nunca terá o controle sobre o pensamento de nenhuma outra mente a não ser a sua própria.

As pessoas pensarão coisas, sim, e isso não afetará em nada o seu valor. O seu valor pessoal não está relacionado com os pensamentos dos outros. Ele diz respeito apenas aos seus próprios pensamentos e sentimentos sobre si mesmo, e as outras pessoas não têm nenhuma influência sobre isso.

Sempre que você teme o que os outros vão pensar ou deixa de ser quem é de verdade por isso, você perde a sua liberdade e o seu poder pessoal, afastando-se cada vez mais da força e da grandeza que existem dentro de você!

Então, que tal pegar toda a energia que você despende tentando controlar, adivinhar e influenciar o pensamento dos outros e concentrá-la em cuidar e nutrir os seus próprios pensamentos? Somente assim você se tornará livre e dono de si mesmo. Somente assim você conhecerá o seu valor e poderá se apropriar de toda a força, beleza e grandeza que habitam dentro de ti!

Sim, eu nasci para ser grande! Nasci para deixar que todo o meu brilho e força interior viessem ao mundo. E, se você, enquanto lê essas palavras, pensa “Quem é você para ser tudo isso?”, eu faço minhas as palavras de Marianne Williamson, eternizadas no discurso de Nelson Mandela, e te pergunto: “Quem é você para não ser tudo isso?”

Então, vem comigo!

“Você não deveria estar pulando carnaval.” Será mesmo?

De repente, minha timeline fica cheia de fotos e textos “sugerindo” que quem escolhe se divertir no carnaval é uma pessoa sem foco, sem compromisso com seus objetivos e que não alcançará os seus resultados. Não sei o que você pensa sobre isso, mas, sempre que vejo esse tipo de coisa, soa um alerta para mim de que estão tentando encaixotar os seus sonhos.

 

Nunca antes na história desse planeta ouvimos tanto o discurso do “Faça o que você ama”, “Viva fora da caixa”, “Seja você mesmo” e “Rompa com os padrões da sociedade”. E por que isso não se aplica também aos momentos de diversão? Será mesmo que a escolha pelo carnaval implica a abdicação do seu sonho? Será mesmo que sair para se divertir durante esses dias vai te afastar do seu grande objetivo de vida?

“Você é livre para pensar fora da caixa, desde que não veja TV, nem pule carnaval!” Acho meio incoerente esse discurso.

Existe um padrão para produtividade? Existe um “modus operandi” idêntico para todas as pessoas? Ou será que cada ser humano é único e deve viver de acordo com suas peculiaridades, valores, missões e objetivos?

A verdade é que esse discurso velado (ou nem tão velado assim) de repúdio à diversão, sob pena de lhe tirar o foco, é um grande sabotador da sua autoestima! Isso acontece por dois motivos:

1- Esse papo de “deve-não deve” ignora justamente o fato de que você é único, e que o que funciona para mim pode não funcionar para você, e tá tudo bem! Não vejo muita diferença entre a padronização de comportamento e a padronização da beleza, por exemplo. Afinal, são todos derivados de um mesmo pensamento de que há um único modo correto de ser/viver e, se você sair desse caminho, será uma pessoa inadequada e “pior” do que as outras.

2- Sempre que você dá ouvido a essa história e deixa de fazer o que realmente quer, você abala o seu relacionamento consigo mesmo, pois abre mão da sua própria felicidade por medo do que os outros pensarão de você. Temer a opinião alheia e deixar que isso conduza a sua vida é massacrante para a sua autoestima e faz com que você se afaste de si mesmo para tentar se aproximar do outro, que, por sua vez, está tentando te impor a forma de pensamento e comportamento dele!

Isso precisa parar! Só você sabe de si! Só você sabe o que você quer para a sua vida e como você funciona melhor. Você gosta de carnaval? Gosta de ver tevê? Gosta de sair para tomar cerveja com seus amigos? Não há nada de errado com isso! Fazer o que você tem vontade não vai te afastar do seu sonho. Acredito que você seja maduro o suficiente para saber equilibrar as coisas, para separar os momentos de diversão sem que isso afete a sua produtividade! Se você está realmente comprometido com um objetivo, tenho certeza que saberá equilibrar as coisas para conseguir fazer o que você precisa, sem ter que abrir mão de fazer o que tem vontade!

Pule carnaval, trabalhe, veja tevê, leia seus livros, medite, tome cerveja, tome chá, mas sempre faça aquilo que te faz bem!

Carnaval pra quem é de carnaval. Netflix pra quem é de Netflix. Trabalho para quem é de trabalho. E felicidade, alegria de viver e respeito para todo mundo!

Então, vem comigo!

 

Chegou a hora de deixar ir

Precisamos conversar sobre essas coisas que você vem guardando já há algum tempo. Todo esse peso está atrapalhando a sua caminhada e você não irá muito longe com ele.

Sim, eu sei que muita coisa aconteceu, sei que nem todo mundo foi legal com você e que aí dentro há memórias de sofrimento das quais você não consegue se desapegar. Você já passou por tanta coisa, não é mesmo? Mas, confie em mim, agora é o momento de deixar todo esse peso para trás, para que você possa seguir com leveza!

Chegou a hora de se libertar das amarras que te prendem ao passado, para que você consiga estar presente no aqui e no agora e até mesmo vislumbrar felicidade no futuro. Chegou a hora de perdoar.

É verdade, você já passou por muita coisa! Sei que foram muitas experiências difíceis e que sofreu muito por isso, mas também sei que todo esse sofrimento está aí escondido em algum lugar que você ainda não vê, porque ele só sairá definitivamente da sua vida depois que você aprender a perdoar.

Sei que muitas pessoas te causaram dor, mas hoje eu quero que você se concentre em perdoar apenas uma delas: você mesmo!

Sim, você precisa se perdoar. Perdoar-se pelas escolhas erradas, pelos pensamentos equivocados, pelas decisões infelizes e por todas as condutas que você teve e que de alguma forma te fizeram sofrer.

Eu sei que você errou. Não se preocupe, eu também errei muito e continuo errando, porque a vida é assim mesmo, uma grande escada de evolução em que a gente tropeça muito antes de subir para o próximo degrau. É claro que dói lembrar de tudo isso, mas hoje quero que você analise seus erros sob uma outra perspectiva.

Hoje você consegue perceber que não fez a melhor escolha, não é mesmo? Agora você tem essa clareza que ontem você ainda não tinha! Quero que você perceba o quanto cresceu de lá pra cá e o quanto amadureceu nesse processo. Lá atrás você apenas fez o melhor que podia, dentro das condições que você tinha. Não, não tinha como ser diferente!

Não tem como você reviver o seu passado com todo o conhecimento e sabedoria que você tem hoje. Mas você pode recriar o seu presente. Você tem o poder de transformar como se sente hoje em relação a tudo o que passou. Somente no aqui e no agora é que você pode agir, é no aqui e no agora que você tem escolha. E você pode escolher se perdoar. Você pode escolher se acolher com amor e aceitar que você foi a melhor pessoa que podia ser naquelas condições de temperatura e pressão.

Hoje é um novo dia, um dia em que você percebe o quanto de sabedoria e aprendizado já adquiriu em sua caminhada. Um dia que você escolhe reescrever a história da sua vida sem mudar os fatos, apenas transformando os seus sentimentos.

Chegou a hora de transmutar a raiva em perdão, o inconformismo em compaixão e toda a crítica e julgamento, em amor. Chegou a hora de cultivar os mais puros e nobres sentimentos no seu coração e viver mais leve, libertando-se de todo o peso emocional do passado.

É chegado o grande momento de se perdoar e experimentar o amor-próprio com a leveza de quem se tornou sábio o suficiente para deixar ir.

Então, vem comigo.

As 17 maiores lições que aprendi em 2015


2015 já está indo embora e esse lindo ano deixa para mim uma tonelada de aprendizado e valiosas lições, que hoje compartilho com você!

Foi um ano, no mínimo, intenso! Repleto de desafios que me deixaram de cabelo em pé e também momentos de profunda felicidade, que acalmaram e energizaram meu coração e, claro, um ano de muito aprendizado!

1- Esteja perto de quem você admira.

Nesse ano eu me aproximei de muitas pessoas que admiro, que me inspiram, e isso fez toda a diferença no meu crescimento! Sei que essas pessoas muitas vezes parecem inalcançáveis, mas elas são seres humanos, como eu e você, e estão abertas e dispostas a nos ajudar e contribuir com a nossa caminhada! 2015 me trouxe novos amigos, mentores e parceiros!

2- O momento presente é sempre perfeito.

Essa lição é muito preciosa e me ajudou a compreender e aceitar todas as circunstâncias da minha caminhada, principalmente os desafios. Lembra que eu te disse que meu ano foi repleto deles? Pois é! Eu aprendi que o momento presente é sempre perfeito, ou seja, as coisas estão acontecendo exatamente como devem ser, em prol de um objetivo maior! Eu tenho meus sonhos e planos, entrego-os ao Universo e ele dá o jeito dele para que tudo aconteça da melhor maneira possível para mim! Você percebeu que eu falei que o Universo dá o jeito DELE, né? Não o meu jeito! Por isso, às vezes, eu não consigo compreender, no momento em que as coisas estão acontecendo, por que elas são do jeito que são, afinal de contas, o meu jeito seria completamente diferente! Isso nos leva à próxima lição que aprendi!

3- Agradecer até mesmo pelas coisas que eu ainda não consigo compreender.

Gratidão. Gratidão. Gratidão! Aprendi a ser grata até mesmo pelas coisas que ainda não consigo compreender! Como eu te disse ali em cima, as coisas nem sempre saem como eu planejei, mas no final, eu sempre percebo que foi o melhor para mim! Se você ainda não consegue entender, é porque ainda não chegou ao final, mas nunca, nem por um segundo, deixe de agradecer! Isso me deu muita força e coragem para seguir em frente, além da sensação reconfortante de que tudo está sempre bem!

4- O Universo vibra em abundância. Se você não está conseguindo tudo o que deseja, não culpe o Universo, quem está na vibração errada é você!

Esse ano eu consegui coisas que me pareciam impossíveis! Eu fiz alguns planos que, no momento em que planejei, eram impossíveis de acontecer! Seja por falta de grana, tempo ou qualquer outra circunstância, simplesmente não dava! As pessoas riam de mim quando eu falava das minhas pretensões! Advinha o que aconteceu? Tudo se realizou: viagens, cursos, parcerias e mais um monte de coisas “inacreditáveis”! O Universo é abundância e conspira para que todos os nossos sonhos se realizem! Lembre-se: o “como” fica por conta dele, o seu trabalho é visualizar, querer verdadeiramente, acreditar, confiar, comprometer-se e receber! Se as coisas não estão acontecendo na sua vida, não culpe o Universo, quem não se conectou na abundância (AINDA) foi você!

5- Quem não investe, não investe.

Essa lição entrou na minha vida dando logo três tapas na minha cara! Eu estava titubeando para fazer um grande investimento financeiro na minha carreira e, no mesmo dia em que eu externei isso ao mundo, recebi várias respostas do Universo, inclusive um vídeo da Carolina Nalon com este título “Quem não investe, não investe!”. Para chegar ao próximo nível, temos que investir! E quando falo de investimento, não me limito ao financeiro. Você pode investir seu tempo, atenção, cuidado, amor… O fundamental é investir! Quando você investe, você se compromete e dá tudo de si para fazer acontecer.

6- O segredo é a consistência.

Revelado o grande segredo para conseguir qualquer coisa que você queira: consistência! Sei que às vezes temos o ímpeto de abandonar o barco logo no comecinho da viagem, principalmente quando as coisas não estão dando muito certo! Mas o que separa os homens dos meninos é justamente agir com consistência. Então, faça o que tem ser feito, todos os dias, com muito empenho e dedicação! Alguns dias são difíceis, eu confesso, mas ter isso mente fez com que eu agisse e seguisse com consistência e muita dedicação.

7- A vida é muito frágil, valorize-a!

2015 me deu um dos maiores sacolejos que já tomei! Estava tudo bem comigo e, de repente, não estava mais. Recebi o resultado de uns exames com aquela notícia que ninguém quer ouvir: eu poderia estar muito doente! Graças a Deus, a cura veio bem rapidinho, mas a lição que eu tirei daí mudou a minha forma de viver! A vida é muito frágil e ela pode ser tirada de nós a qualquer momento! Então, não a desperdice vivendo pela metade, não passe o seu tempo como um zumbi ou apenas reagindo às circunstâncias! Viva com toda a intensidade e presença que sua vida merece ser vivida! Valorize cada milésimo de segundo e faça sua existência valer a pena!

Outra lição que tirei daí diz respeito às pessoas à minha volta! A vida delas também é frágil e isso transformou a minha maneira de me relacionar com elas. A gente sempre escuta que devemos nos relacionar com as pessoas como se fosse o nosso último dia de vida. Até que um dia me disseram algo que fez muito mais sentido: esteja com as pessoas como se fosse o último dia de vida delas! Isso me fez ser mais tolerante, relevar coisas que deixavam de ter importância sob essa nova perspectiva, e demonstrar mais meu amor e admiração.

8- Acredite nos seus sonhos e lute por eles.

Os seus sonhos são parte de você! Não tenha medo de sonhar! Alimente seus sonhos e lute por eles! Lembre-se da frase de Eleanor Roosevelt: “O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos!”. Foi assim que consegui realizar vários dos meus esse ano!

9- As dificuldades são oportunidades disfarçadas.

Lembra da tonelada de desafios? Olha eles aí me ensinando mais uma vez! Aprendi que as dificuldades nada mais são do que oportunidades disfarçadas! Quando comecei a pensar assim, ao invés de reclamar ou me descabelar com um problema, mudei a minha percepção para procurar onde estava a oportunidade por trás de cada um deles! Encontrei várias, a maior parte dessa lista, por exemplo!

10- Não julgue as pessoas, conheça-as e compreenda-as melhor.

Taí uma lição para guardar no coração! Eu sempre tive a (infeliz) mania de julgar e rotular as pessoas. Com base nas informações mais rasas e incompletas, eu construía meu juízo de valor sobre uma pessoa e me afastava dela. A minha sorte foi que eu já havia aprendido a me perdoar pelos meus erros quando me dei conta do quão injusta eu estava sendo, e que a mais prejudicada por esse comportamento era eu mesma!

Eu me permiti jogar na lata do lixo todos os julgamentos que havia feito um dia sobre qualquer pessoa e comecei a conhecê-las e compreendê-las melhor. Eu percebi o quanto elas eram grandes lutadoras, por quantas coisas difíceis já haviam passado e que eu não fazia ideia de quem elas eram de verdade!

Jamais deixe que o mínimo que você pensa que sabe sobre alguém, ou ainda, que a opinião dos outros sobre alguém, interfira na maneira como você enxerga uma pessoa! O maior beneficiado por se livrar dos seus julgamentos será você mesmo!

11- Você é capaz de qualquer coisa.

Nunca, nunca, nunca duvide do seu potencial e da sua capacidade de realização! Você pode fazer qualquer coisa, pode aprender coisas que nem imagina e pode realizar ainda mais! Eu consegui fazer coisas nesse ano que, se você me dissesse há um ano, eu daria risadas! Descobri que sou capaz de muito mais do que eu poderia imaginar!

12 -O tempo é um recurso finito, escasso e não renovável. Faça bom uso do seu!

Acho que nunca na minha vida dei tanto valor ao meu tempo como em 2015. Eu me dei conta da preciosidade desse recurso e que cada minuto mal aproveitado me deixa um minuto mais longe dos meus sonhos. Desde então, busco eliminar as distrações e acabar com situações em que meu tempo é subaproveitado, como por exemplo, as idas ao supermercado, o tempo que passo que no trânsito ou em viagens de avião. Estou sempre escutando podcasts, lendo livros e transformando o tempo, antes ocioso, em momentos de aprendizado e crescimento! Desperdiçar meu tempo com bobagens, nunca mais!

13- A âncora tem 10% do peso do barco, mas ela o impede de seguir em frente.

Todos nós temos nossas âncoras, aquelas coisas que não parecem atrapalhar, mas, na verdade, nos impedem de seguir em frente. Em 2015 eu percebi que tinha uma âncora na minha vida, era um trabalho de meio horário, que eu achava que não atrapalhava em nada a minha jornada em direção aos meus sonhos (afinal, eram apenas 6 horas por dia), mas que na verdade, me mantinha presa a uma vida que já não me pertencia mais. É justamente este o problema das nossas âncoras, elas parecem não nos atrapalhar, mas nos mantém presos a uma realidade que não queremos mais. E aí, quais são as suas âncoras?

14- Feito é melhor do que perfeito.

Essa frase é um clássico, eu sei. Mas, mesmo sendo de absoluta notoriedade, aposto que você ainda se esconde atrás da desculpa da busca pela perfeição. Nesse ano eu tive que abraçar esse lema, ou não teria feito nem 10% das coisas que realizei. Muitas coisas não saíram do jeito que eu gostaria, com a “perfeição” que eu tinha idealizado na minha mente, mas o que realmente importa é que eu fui lá e fiz!

15- O fracasso não existe. Você não falha, você aprende valiosas lições que te aproximarão cada vez mais do sucesso.

O que você faria se soubesse que não poderia fracassar? O fracasso é algo extremamente assustador, ninguém quer falhar, não é mesmo? Mas uma das lições preciosas que esse ano me deixou é que é impossível fracassar! Aprendi com grandes mestres que o fracasso só existe para quem desiste, mas este definitivamente não é o meu caso! Claro que muita coisa deu errado, mas não encaro isso como uma derrota, encaro todas essas falhas como mais um passo em direção ao sucesso!

16- Tá com medo? Vai com medo mesmo!

O medo não vai embora, a não ser que você entre em ação. Em 2015 eu tive que fazer várias escolhas, tomar muitas atitudes e iniciativas que me apavoraram! Sim, deu medo, mas eu decidi que o medo nunca mais me paralisaria. Osho diz que coragem não é a ausência de medo. Coragem é agir apesar do medo! Então, deu medo? Vá com medo mesmo, mas vá!

17- Uma ideia não vale nada!

Eu costumo dizer que neste ano eu me alinhei com a abundância das ideias! Tive muitas ideias incríveis e fiquei super satisfeita com isso, achando que minhas ideias eram valiosíssimas! Só que aprendi que na verdade minhas ideias não valiam absolutamente nada, porque uma ideia, por si só, não tem valor nenhum! O que realmente vale é a ação que você toma para transformar aquela ideia em realidade!


Estes foram meus principais aprendizados em 2015. Fazer esse texto me permitiu reconhecer o quanto eu cresci durante esse ano, por isso, quero que você faça o mesmo! Reveja o seu ano e perceba quantos aprendizados ele te trouxe e como você é uma pessoa diferente hoje.

Compartilhe comigo suas lições. Escreva aqui nos comentários quais foram as mais marcantes para você!

Então, vem comigo!

  • Quer receber gratuitamente meu Livro Digital “3 Atitudes para Fortalecer a Autoestima pelo Autocuidado”? É só se cadastrar AQUI! Você ganha o meu e-book e ainda entra para a minha lista VIP, para receber conteúdo exclusivo!
Página 1 de 712345...Última »