E se não existisse dinheiro no mundo?

Sei que essa é uma pergunta até um pouco bizarra, mas, as respostas a ela podem ser bem reveladoras. Quer ver?

Você acorda pela manhã e percebe que seu despertador não tocou. Desesperado, dá um pulo da cama, olha apressado em volta, tentando descobrir o quanto se atrasou.

De repente você se dá conta que há algo de muito diferente… Depois de procurar, sem êxito, suas roupas de trabalho penduradas no lugar de costume, você resolve olhar pela janela e vê algo espantador: pessoas felizes lá fora.

Você enfim descobre as horas, são dez da manhã. O dia? Quarta-feira. E por que diabos aquelas pessoas estão todas lá fora, brincando, andando de bicicleta, se divertindo, em plena quarta-feira? Elas não deveriam estar trabalhando? Como conseguirão dinheiro para pagar suas contas se não trabalharem? Como sustentarão suas famílias apenas se divertindo? E o dinheiro? E o dinheiro? E o dinheiro?

Você sai correndo pelas ruas e começa a abordar as pessoas? Por que estão tão felizes? Por que não estão trabalhando? E o dinheiro?

Sempre muito sorridentes, as pessoas te respondem que estão trabalhando, sim. Uma cuida de seu jardim, outra caminha animada, conduzindo um grupo. Aquela lá no fundo, cheia de sacolas, disse que está cozinhado para a vizinhança. Mas, nenhuma delas entende quando você pergunta sobre o dinheiro. Elas não sabem o que é isso.

Não sem um grande choque, você descobre que o dinheiro não existe mais. Na verdade, para todo o resto do mundo, era como se ele nunca tivesse existido, mas, por algum motivo muito estranho, você ainda se lembra muito bem de quando o mundo era movido pelo dinheiro.

Naquela época, desde criança você via seus pais trabalhando muito, muitas vezes até sem tempo para brincar com você, e, sempre que lhes perguntava o porquê, eles respondiam: “Temos que trabalhar para ganhar dinheiro e poder pagar as contas, comprar comida, pagar sua escola… Quando você for grande e tiver a sua família, fará o mesmo por eles! Aproveite agora enquanto ainda pode brincar e se divertir, depois, não terá mais nada disso.”

Você? Seguiu o mesmo caminho. O único caminho. Aquele que todo mundo te disse que deveria ser seguido.

Se emocionou ao recordar o quanto se divertia na infância, né? Consegue se lembrar de qual foi a última vez em que se sentiu assim, feliz? Não? Então aproveite agora, que o dinheiro não existe mais, que você não tem que trabalhar para pagar as contas (não há mais contas neste mundo) e vai se divertir!

E aí? O que você vai querer fazer agora? Como vai querer aproveitar todo esse tempo livre? Onde vai querer morar? Com quem vai conversar? Sobre o que falarão? O que vai querer comer no almoço? Você mesmo que vai preparar? Quais os cursos que você vai querer fazer agora? Você quer aprender alguma coisa nova? Sim, pode ser qualquer coisa! Seu tempo agora é todinho seu e você pode fazer o que quiser com ele! Você pode ser o que quiser? Que tal ser você mesmo? As pessoas não vão te julgar por isso, elas também são elas mesmas o tempo todo, não viu pela janela como elas estavam felizes e realizadas? Vai lá, junte-se a elas…

___

Se no mundo não existisse mais dinheiro e você não vivesse em função dele, poderia ser você e fazer tudo o que quisesse e gostasse, durante todas as 24 horas do seu dia.

Sei que você não pode acabar com o dinheiro do mundo, mas você pode, sim, parar de viver em função dele! Você pode viver em função das suas paixões e transformá-las no seu trabalho e, via de consequência, sua fonte de renda.

Claro que é possível!!! Seja qual for a sua paixão, é possível viver dela. Viver bem, sim senhor! A vida é um mundo de oportunidades e, com disposição, paixão e muita vontade, você pode conquistar o seu espaço, fazendo o que gosta e sendo muito feliz!

Você quer? Você acredita? Então, vem comigo!

P.S.: Se você é como uma das inúmeras pessoas com as quais eu converso, que dizem não saber quais são as suas paixões, fazer essa brincadeira vai te ajudar a descobrir! 😉