E se você estiver velho demais?

“E se eu estiver muito velha para sonhar?” – Ela me perguntou. – “Você sabe, eu não tenho mais idade para isso.”

Confesso que aquelas palavras mexeram comigo. Eu as senti entrando em mim e ecoando dentro do meu ser.

Eu não sou uma dessas pessoas motivacionais, que têm sempre uma resposta incrível na ponta da língua e um repertório infindável de frases impactantes. Sabe aquelas frases que você escuta e diz “Uaaaauuuu! Isso mudou a minha vida!” e de repente se sente motivado para correr uma maratona ou que tem a força para derrubar com um só golpe as Muralhas da China? Então, eu definitivamente não sou esse tipo de pessoa.

Quando entro em uma conversa, vou com o coração completamente aberto e ouço com a minha alma o que a pessoa tem a dizer. Também deixo que a minha alma responda, porque a mente, você sabe, ela é um pouco limitada, e às vezes o ego tenta manipulá-la fazendo-nos sentir aquela vontade de estarmos sempre certos. A alma é diferente, ela simplesmente é, ela não quer estar certa ou errada, ela não compete, não quer ser melhor ou pior. A alma só quer sentir, só quer ser.

Sabe, eu acho que se as pessoas colocassem mais alma em suas mentes, o mundo seria um lugar completamente diferente.

Naquele dia, a minha alma estremeceu um pouquinho com aquelas palavras. Talvez por ter se identificado com o que acabara de ouvir. Não sei se já te contei, mas um dia eu também me senti velha demais. Sim, foi no auge dos meus vinte e poucos anos. Eu achava que não tinha mais idade para ser feliz. Achava que tinha desperdiçado todas as minhas oportunidades e que estava fadada ao sofrimento para o resto da minha vida.

Parece que posso até ver daqui a sua cara de espanto ao ler essas palavras. Consigo te ver balançando a cabeça com reprovação, como quem diz: “O que você está falando garota?”. Mas, naquele momento, aquela era a minha dor. Eu me achava velha demais para viver essa tal de felicidade.

O mais impressionante de tudo é que hoje, quando olho para trás, vejo que eu estava certa. Eu de fato estava velha demais.

Temos a tendência de achar que ser jovem ou velho está relacionado com a idade que temos, mas isso é um baita engano! Isso nada tem a ver com quantos aniversários você fez ou os números registrados em sua carteira de identidade.

Ser jovem ou velho depende de uma única coisa: a sua capacidade de sonhar. Enquanto você tem um sonho, enquanto acredita nesse sonho, você será jovem e vívido, não importa o que te diga a sua certidão de nascimento.

O verdadeiro tempo é medido pelo quanto acreditamos na beleza da vida, o quanto nos deixamos alimentar pelos nossos sonhos, o quão vivaz é a nossa imaginação e latente a nossa sensação de que podemos e merecemos realizá-los.

E a cronologia, essa racional criatura, ela não é capaz de colocar obstáculos para a realização dos seus sonhos, porque aí dentro você tem a jovialidade de uma criança. E as crianças, meu amigo, têm um dispositivo secreto acoplado em suas mentes que ignoram completamente a expressão “você não pode fazer isso”.

Tudo bem! Posso até não fazer do seu jeito, mas eu encontro uma maneira, porque é isso que os sonhadores fazem, eles não permitem que o “como” seja um obstáculo. O “como” é um empecilho para os velhos, porque quem sonha faz parte daquele grupo incrível que encontra um jeito, o seu jeito, de fazer acontecer.

Ao te escrever essas palavras não consigo impedir que um sorriso brote nos meus lábios, enquanto lágrimas de emoção me marejam os olhos, porque sabe o aconteceu com aquela velha de vinte e poucos anos? Ela renasceu. Ela permitiu que o seu coração batesse de novo cheio de jovialidade e disposição, porque ela redescobriu o que é sonhar e saiu por aí, colorindo a vida e fazendo dela o cenário perfeito para a realização dos seus sonhos!

“E se eu estiver muito velha para sonhar?” – Ela me perguntou. – “Você sabe, eu não tenho mais idade para isso.”

Confesso que aquelas palavras mexeram comigo. Eu as senti entrando em mim e ecoando dentro do meu ser. Minha alma reconheceu aquela frase e em frações de segundo devolveu em resposta a expressão mais pura e verdadeira que alguém um dia já disse sobre o assunto:

“Porque se chamavam homens, também se chamavam sonhos, e sonhos não envelhecem.” **

Você tem um sonho. Você está vivo. Isso é tudo o que precisa para torná-lo realidade.

Então, vem comigo!

**Essa frase é da música “Clube da Esquina II” e não sei exatamente a autoria, porque ora o Google me diz que é do Milton Nascimento, ora do Flávio Venturini.